A agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos, a FDA (Food and Drug Administration), acaba de emitir uma Autorização de Uso de Emergência (EUA) para o tratamento de covid-19 de intensidade leve a moderada em pacientes adultos e pediátricos que não foram hospitalizados. A terapia, ainda em investigação, é baseada em anticorpos monoclonais e atende pelo nome de bamlanivimab.

 

Tratamento experimental bamlanivimab da Lilly contra a Covid-19. Foto: Divulgação/ELI LILLY

 

Esse agente terapêutico, desenvolvido pela farmacêutica Eli Lilly, é um anticorpo monoclonal semelhante aos que faziam parte do coquetel de medicamentos para Covid-19 que foi administrado ao presidente dos EUA, Donald Trump.

O que são anticorpos monoclonais?

Anticorpos são grandes proteínas que constituem o sistema imunológico necessário para identificar e neutralizar objetos estranhos ao corpo, como bactérias e vírus.

No caso específico dos anticorpos monoclonais (mAbs, anticorpos monoclonais), eles são glicoproteínas produzidas pelo clone de uma célula híbrida (criada a partir da fusão de uma única célula-tronco do sistema imunológico com uma célula plasmática tumoral) e projetados para atacar um antígeno específico.

Sua produção é baseada no estabelecimento de linfócitos B imortais modificados para produzir uma imunoglobulina específica. Dependendo do nível de pureza da imunoglobulina, ela pode ser totalmente murina, quimérica, humanizada ou totalmente humana.Os anticorpos monoclonais são cuidadosamente selecionados e direcionados contra uma molécula específica que desempenha um papel fundamental no processo de uma doença, e eles são frequentemente usados para tratar certas doenças, como câncer ou artrite reumatoide.
Para ler a matéria completa clique aqui e acesse o site da BBC News Brasil.