Redação com assessoria

Agradar o(a) parceiro(a), falta de química e cansaço são os principais motivos que levam as pessoas a fingir orgasmo. Segundo pesquisa divulgada pela Sexlog.com, maior rede social adulta da América Latina, 5% dos homens e 8% das mulheres afirmam nunca terem atingido o ápice do prazer em uma relação sexual ou durante a masturbação. Para eles, a justificativa mais comum é que, apesar de gozarem, não se sentem completamente satisfeitos. Já as mulheres alegam que não “chegam lá” porque o parceiro não consegue satisfazê-las.

O sexo oral é a forma mais fácil de chegar ao orgasmo para 17% dos homens e para 29% das mulheres o estímulo com as mãos pode ser poderoso.

Agora o que mais broxa ambos os sexos? Falta de higiene e mau cheiro.

Saiba os resultados da pesquisa no Paraná:

Estados que mais “gozam”

A pesquisa, que revelou que os estados que mais “gozam” são Minas Gerais e São Paulo, traz ainda outros dados importantes e curiosos sobre o comportamento sexual do brasileiro, que podem ser conferidos no site www.mapadoorgasmo.com.br. O mapa é mais uma iniciativa da rede social que, além de informações, também permite que o usuário faça check-in toda vez que atingir o orgasmo, seja sozinho ou com outra(s) pessoa(s) e compartilhar nas redes sociais.

A iniciativa é parte da campanha da Sexlog.com que defende o movimento denominado sex-positive. Para a rede social, a vida sexual deve ser tratada de maneira natural desde sua descoberta, que para 56% das pessoas começou cedo, antes dos 15 anos.

“A forma que as pessoas lidam com o sexo na adolescência reflete na vida adulta e a qualidade das relações acaba sendo sempre pior do que deveria. Falta orientação em casa, falta educação nas escolas e o escasso diálogo aumenta o tabu em torno do assunto”, afirma Mayumi Sato, diretora de Marketing e sócia da rede social. O resultado disso são adultos – 65% deles -, que acham fundamental ter que “gozar” para que a transa possa ser proveitosa ou ainda, 51% das pessoas que tiveram orgasmo com mais de 30 anos acham que a transa pode ser legal mesmo sem gozar.

“O Sexlog é embaixador do Dia do Orgasmo porque é o que fazemos no dia a dia, promovemos prazer real para quem quer curtir sem se preocupar com tabus ou julgamentos. O orgasmo pode ser solitário, em dupla ou em grupo, a liberdade sexual é um componente essencial na vida das pessoas e o mais importante é que seja sempre consensual, seguro e prazeroso para todos os envolvidos!”, diz Mayumi Sato.