O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse, nesta segunda-feira (28/12), que não pode pressionar a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pelo aval imediato de vacinas contra o coronavírus. O chefe do Executivo federal deu as declarações após um jogo beneficente na Vila Belmiro, em Santos (SP).

“No meu entender, para deixar bem claro, um dos dispositivos da lei de março dava 72 horas para a Anvisa certificar. Agora, a Anvisa quer 10 dias e o Congresso, cinco. Nós temos que ter responsabilidade”, falou.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Mais cedo, Bolsonaro disse que o processo de registro de vacinas contra a Covid-19 não pode ser feito às pressas devido aos possíveis efeitos colaterais do imunizante. Tanto a autorização para uso emergencial quanto o registro regular de vacinas dependem da autorização da Anvisa.