Uma empresária começou a produzir máscaras de acrílico voltadas ao uso médico e agora procura parceiros para apoiá-la. A família de Michelli tem um empresa de impressão 3D destinada ao ramo de decoração e nos últimos dias, após a procura de alguns médicos, começou a produzir o material, pois o produto está escasso em diversas unidades de saúde de Curitiba e região metropolitana.

Num momento como esse, em que a solidariedade se faz tão importante, Michelli Andrade sente a necessidade de fazer o bem e ajudar o próximo. O objetivo da empresária é doar as máscaras à unidades de saúde públicas e privadas de Curitiba e região metropolitana. Ela postou em uma rede social sobre a necessidade de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) em algumas unidades e pediu ajuda  para conseguir alguns materiais de produção. E a atitude tem dado certo.

 

Equipe do Samu após receber o material doado. Foto: Arquivo Pessoal/Michelli Andrade

 

Médicos e enfermeiros, em vários estados do Brasil, têm protagonizado protestos contra a falta de máscaras e luvas por conta do avanço do novo coronavírus em todo o mundo. 

De acordo com Michelli, há muitos pedidos e algumas pessoas têm ajudado na produção. “Hoje, já temos mais de 800 pedidos de máscaras, conseguimos construir uma equipe para ajudar e algumas pessoas que têm impressora 3D começaram a ajudar”, disse. Para ela, a sensibilização foi o pontapé da atitude, já que conseguiu, também, a doação do material de acrílico, que serve para proteger o nariz e a boca do profissional. 3.200 máscaras é o que Michelli conseguirá produzir com a doação conseguida.

 

Profissionais de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) com as máscaras produzidas. Foto: Arquivo Pessoal/Michelli Andrade

 

Contudo, outros materiais são necessários para entregar o produto, como elásticos e materiais para as impressoras, por exemplo. “Agora, temos 30 máquinas trabalhando e nosso objetivo é conseguir doações. Não iremos vender nada que produzimos”, frisou a empresária. Ela ainda pede que “quem tem impressoras pode entrar em contato para que ajude na produção”. 

Inclusive, pessoas de outros estados têm entrado em contato com a empresária a fim de abranger o número de unidades que receberão doações dos materiais. 

Segundo Michelli, cada máquina leva em torno de três horas para produzir cada máscara e na casa dela há seis impressoras. “O uso desse material é hospitalar, estamos fazendo isso para atender os enfermeiros, médicos… quem está ali na linha de frente. Isso não é para ser usado em casa, não é para sair na rua, queremos ajudar os profissionais da saúde”, ressaltou.

“Quem puder nos ajudar com materiais, tiver alguma ideia de como facilitar o trabalho, pode entrar em contato. Aquilo que tiver ao nosso alcance, sem dúvidas vamos correr atrás para conseguir fazer”, conclui a empresária.

Michelli já entregou algumas máscaras para uma equipe do Samu e de uma Unidade de Pronto Atendimento, e conta com alguns parceiros. “Toda doação é bem-vinda. Não paramos em nenhum momento, justamente para conseguirmos produzir o maior número de máscaras possível”, publicou em uma rede social.

Serviço

Instagram: @Michi_andrade_

Contato: (41) 9 9773-6552.