De um universo de 46 milhões de testes prometidos pelo Ministério da Saúde para detectar a Covid-19, a pasta aplicou, até o momento, somente 6,7% – o que pode colaborar para alta subnotificação. Segundo analistas da área, esse cenário é consequência de falta de planejamento.

 

Foto: Erasmo Salomão/MS

 

Até o último sábado (4/7), quando foi divulgado o mais recente Boletim Epidemiológico, o órgão tinha aplicado 3,1 milhões de testes – 1,7 milhão de RT-PCR (molecular) e outros 1,4 milhão de testes rápidos (sorológicos).

Isso significa que, no máximo, 1,4% da população do país fez exame para coronavírus (sem considerar eventuais pessoas que precisaram se submeter a mais de um exame). O objetivo, no entanto, é testar um quarto (25%) dos 210 milhões de brasileiros. Atualmente, o Brasil faz 13,7 testes a cada 1 mil habitantes. Em termos de comparação, os Estados Unidos realizam 109 testes/mil hab. e Portugal efetua 124 testes/mil hab.

Para ler a matéria completa no Portal Metrópoles, parceiro da Banda B, clique aqui.