A chefe do serviço de infectologia do Hospital de Clínicas (HC) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e coordenadora do estudo da Coronavac em Curitiba, a médica Sônia Raboni, afirmou em entrevista à Banda B nesta quinta-feira (7) que a vacina é segura e confiável. O HC é um dos centros de pesquisa que fazem parte do estudo coordenado pelo Instituto Butantan sobre a vacina da farmacêutica chinesa Sinovac.

Foto: Reprodução/Twitter

Segundo Raboni, foram registrados poucos eventos adversos graves após as aplicações da Coronavac. “Em termos de segurança, estamos realmente bastante tranquilos com a Coronavac e essa já era uma impressão que a gente tinha mesmo antes de saírem os resultados de eficácia. Tivemos muito poucos eventos adversos mais sérios e a maioria que observamos foram locais, como exemplo dores no local da injeção e inchaço, mas esses problemas se resolveram sozinhos”, explicou a médica infectologista.

Os resultados dos estudos finais de eficácia da Coronavac realizados no Brasil foram divulgados, nesta quinta-feira, pelo Governo de São Paulo. A prevenção de casos leves da Covid-19 teve uma eficácia de 78%, já casos moderados e mortes foram completamente evitados no estudo.

Esses números já eram esperados, de acordo com a coordenadora do estudo da vacina em Curitiba. “A expectativa era muito grande em torno desse resultado de eficácia e acreditamos que estivesse em torno dos 80% mesmo. Então ficamos bastante satisfeitos com esses resultados”, afirmou Raboni.

Os dados dos estudos finais foram apresentados à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) em reunião e o Instituto Butantan já fez o pedido de registro emergencial do imunizante que irá produzir.