O governo brasileiro optou pela menor cobertura possível na aliança mundial de vacinas, a Covax. Os governos tinham a possibilidade de solicitar vacinas que poderiam atender de 10% a 50% das populações de seus países.

O Brasil escolheu solicitar a quantidade para 10% dos brasileiros, a menor taxa de cobertura permitida. As informações são do Uol.

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

“O ministério optou por assegurar o mínimo de 10%, mas é importante ressaltar que, conforme previsto no contrato de adesão, a pasta pode adquirir mais vacinas junto aos laboratórios que integram a aliança”, disse o Ministério da Saúde.

Apesar disso, não existe em Genebra previsão ou avaliação sobre qual poderia ser a demanda extra do governo brasileiro.