Dezenas de professores e outros servidores municipais de Almirante Tamandaré protestaram, na manhã desta terça-feira (16), em frente à prefeitura da cidade para reivindicar reajuste salarial. A categoria ameaça aderir greve em caso de as demandas serem ignoradas pela gestão do município.

À Banda B, a presidente do Sindicato dos Professores e Servidores Municipais de Almirante Tamandaré (Sinprosmat), Claudia de Lima Duarte, disse que entre as exigências também estão o pagamento de vale-alimentação e oferta de plano de saúde. Com base no piso nacional, a entidade pede reajuste de 3,62% na folha de pagamento (saiba mais abaixo).

Veja abaixo a lista de demandas:

  • 👨‍🏫 Cumprimento do piso nacional do magistério;
  • 👨‍🏫 Negociação de perdas salariais;
  • 👨‍🏫 Pagamento de elevações para todas as categorias de servidores municipais;
  • 👨‍🏫 Melhores condições de trabalho;
  • 👨‍🏫 Vale alimentação;
  • 👨‍🏫 Plano de saúde e odontológico.

“O piso nacional foi protocolado em janeiro deste ano para que fosse pagado e não está ocorrendo. O prefeito adiantou dois meses esse pagamento do reajuste em 3,13%. No entanto, queremos reivindicar porque ele nem fez mesa de renegociação e o sindicato não foi recebido. Sobre esse dois meses… Ou ele acrescenta ou vamos continuar no prejuízo”, disse Claudia.

Segundo a presidente do sindicato, os professores e servidores têm levado comida de casa para a escola em meio à inexistência do vale-alimentação. “Quando se iniciam as aulas, comemos o que sobra da merenda dos alunos”, acrescentou.

“Os servidores estão desanimados e desvalorizados. Em alguns locais de trabalho, não tem nem micro-ondas para esquentar marmita. Os professores não estão aqui porque querem. Estamos lutando por um direito”,

Claudia de Lima Duarte, presidente do Sinprosmat.

O piso salarial do magistério

Em janeiro, o Ministério da Educação (MEC) publicou uma portaria que define o novo piso salarial dos professores da educação básica com um aumento de R$ 3,62%, elevando o valor mínimo a R$ 4.580,57. O salário é válido para todos os educadores brasileiros que cumprem 40 horas semanais.

“O valor do piso é definido pelo governo federal, mas, como os salários são pagos pelas redes de ensino, cada estado e município precisa oficializar o novo valor por meio de uma norma própria. Por isso, o reajuste não é automático. Os salários da educação básica são pagos pelas prefeituras e pelos estados, a partir de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) repassados pela União, além da arrecadação de impostos”, divulgou o MEC no início do ano.

O que diz a Prefeitura de Almirante Tamandaré

Procurada pela Banda B, A Prefeitura de Almirante Tamandaré disse que o reajuste inflacionário definido pelo governo federal já está sendo aplicado. No entanto, descartou a possibilidade de ofertar plano de saúde e vale-alimentação em meio à concessão de reajuste salarial. Sob a justificada de não ser possível alterar o orçamento do município, a administração informou que os “cofres da prefeitura não conseguiriam suportar um incremento tão significativo nos gastos”. Veja a nota na íntegra abaixo.

“A Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré, esclarece que todas as elevações de nível e progressões estão em dia, inclusive o reajuste inflacionário para o ano de 2024.

Conceder o reajuste pedido pelos professores e servidores, mais plano de saúde e vale alimentação, provocaria um efeito cascata insustentável na folha de pagamento, inclusive o atual orçamento está sendo executado, não há como alterá-lo para incluir este e outros pedidos.

Por mais merecedores que os professores e servidores sejam, a questão é meramente financeira. Os cofres da prefeitura não conseguiriam suportar um incremento tão significativo nos gastos com as categoria profissionais.

Diante de versões equivocadas que estão sendo divulgadas, cabe destacar que as escolas não foram afetadas porque a manifestação é permitida desde que 30% do quadro efetivo fique atendendo os educandos.

Almirante Tamandaré investe 25,7% do orçamento na educação, embora a Constituição Federal defina 25%. Temos convicção de que a educação é investimento direto no futuro da nossa cidade. Mas não podemos abrir mão da responsabilidade com as contas públicas.”

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Professores e servidores municipais de Almirante Tamandaré protestam por reajuste salarial

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.