O candidato à Prefeitura de Curitiba, João Arruda (MDB), entregou um plano de governo de 32 páginas, contanto com a ajuda de mais de 300 pessoas, e espera poder colocar em prática caso seja eleito. Entre os destaques está a criação de uma Universidade do Trabalhador e a redução da tarifa de ônibus em 30%. O medebista participou, na manhã desta segunda-feira (19), do terceiro dia de entrevistas com os candidatos da capital para as eleições municipais.

Apresentador Paulo Debski e João Arruda durante a entrevista desta terça-feira (Foto: Reprodução)

 

“Queremos uma Universidade do Trabalhador com soluções inovadoras para o autônomo, motorista de aplicativo e entregador de ifood, ampliando as ofertas para que o jovem tenha um primeiro emprego, porque com dinheiro no bolso tudo fica mais fácil. São necessárias novas estruturas de acolhimento para que a pessoa vá ao mercado de trabalho, garantindo emprego e renda. Isso não é assistencialismo, mas oportunidade”, afirmou durante a entrevista ao apresentador Paulo Sérgio Debski

Outro tema que Arruda prometeu dar uma atenção especial é o transporte coletivo, pensando inclusive em uma redução de 30% no preço da passagem de ônibus. “Com a subvenção de governo e prefeitura, em um repasse de mais de R$ 200 milhões, podemos reduzir o preço da passagem em 30%, sem demagogia. É preciso de alguém que não tenha rabo preso com as empresas do transporte coletivo, converse olho no olho e não em um restaurante requintado”, disse.

Outra proposta para o transporte coletivo é a criação do programa Última Milha, em que do terminal de ônibus para o seu ponto de chegada o usuário pegue um carro de aplicativo. “O usuário pode dividir um UBER e fazer com que o valor fique apenas um pouco mais caro que a passagem de ônibus, com toda segurança e comodidade. Essa carona poderia ser instituída com mais frequência nos bairros de nossa cidade, como acontece já em Goiânia”, argumentou.

Plano extenso

Arruda é candidato à prefeitura pelo MDB (Foto: Facebook)

 

Durante a entrevista, Arruda confirmou que tem um plano de governo extenso e que é viável. “A candidatura foi de última hora, mas o plano começou muito antes. Temos para o urbanismo da cidade um plano de reestruturação, escrito pelo arquiteto Luiz Forte Neto, um dos primeiros presidente do IPPUC. Pensamos na substituição de semáforos na Linha Verde, criação terceiro anel, tudo dentro do orçamento, que infelizmente foi usado para outras áreas, sem um planejamento do futuro, sendo administrado apenas para a reeleição”, ponderou,

Ainda, Arruda garantiu que quer dar mais ênfase em uma integração com a região metropolitana. “Não podemos pensar em Curitiba sozinha. A integração é necessária para evitar o caos no trânsito, por exemplo. Curitiba tem coisas boas e prontas em diversos aspectos, mas precisamos de investimento na infraestrutura”, salientou Arruda, que também prometeu mais atenção à educação e aos servidores, com o descongelamento dos benefícios deles.

Mulheres

Durante a entrevista, Arruda também prometeu dar mais atenção às mulheres vítimas de violência. “Não serão criadas novas secretárias, mas queremos uma voltada à inclusão social, para políticas públicas na defesa da mulher, descentralizando da Casa da Mulher e indo para os bairros. É preciso de acolhimento, entender se ela quer empreender e precisa de ajuda”, explicou Arruda, garantindo que fará, se eleito, uma gestão sem gastos supérfluos. “Não haverá cargo de confiança e privilégios. Não se terá gastos com uma água cara como acontece hoje. Isso tem que acabar e será substituído por trabalhos e programas. Parcerias com universidades e entidades do terceiro setor, como o Senac”, concluiu.

Debate e candidatura

Na parte final da entrevista, Arruda garantiu que a decisão da candidatura foi dele e do partido. “O grupo que hoje é responsável pelo MDB entendeu que precisávamos de uma candidatura própria. Temos que contestar este tipo de candidatura, porque se antecipa a eleições retirando outros candidatos antes da população decidir. Fizeram isso em 2018 quando fui candidato a governador. A eleição não está definida ainda e podemos colocar outro candidato no segundo turno para debater com mais profundidade”, disse.

Por fim, convidou o candidato à reeleição, Rafael Greca, a participar dos debates. “Não podemos limitar a disputa a um candidato que não frequenta debates. Por isso vamos realizar, nesta terça-feira, na Praça da Espanha, perto da casa do prefeito, um debate. Esperamos que ele participe, porque é um excelente debatedor e que já fez tudo o que podia fazer pela cidade. Agora é preciso dar um passo à frente”, concluiu.

Saiba aqui a ordem das próximas entrevistas.

Assista à entrevista de João Arruda na íntegra: