A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou pedido de prisão domiciliar apresentado pela defesa de Fábio Paula Camanho, o Fábio ‘Taca Bala’, suspeito de chefiar uma milícia na comunidade do Quitungo, em Brás de Pina, na zona norte do Rio. Ele foi preso preventivamente em agosto e é acusado de ser o mandante do assassinato de um integrante do Comando Vermelho, no ano passado.

Segundo o Ministério Público, o crime teria sido planejado em razão da disputa entre a milícia e a facção criminosa, que domina o tráfico no Complexo da Penha. Fábio ‘Taca Bala’ assumiu o comando da milícia após a prisão de ‘Marquinhos Tiroteiro’, e comandou esquemas de fornecimento irregular de canais de televisão (‘gatonet’), cobrança de pontos de moto-táxis e o monopólio de venda de gás e empréstimos de valores a juros exorbitantes. Tudo, segundo a Promotoria, ‘através do império da força e da violência, praticando ameaças e, até mesmo, homicídios contra as pessoas que se recusam a obedecê-lo’.

Nos autos, a defesa pontuou a ‘inidoneidade dos fundamentos do decreto de prisão’ contra Fábio ‘Taca Bala’ e pediu a possibilidade de substituição da preventiva por prisão domiciliar em razão da pandemia do novo coronavírus.

Foto: Reprodução/Twitter

No entanto, o ministro Sebastião Reis Júnior, relator do habeas corpus, apontou que a recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que prevê a adoção de medicas cautelares durante a crise de covid-19 não engloba ‘crime cometido com o emprego de violência ou grave ameaça’.

Além disso, o ministro destacou que o próprio ‘Taca Bala’ já foi diagnosticado com covid-19 há alguns meses. “Quanto ao estado de saúde, o médico afirmou que, embora o paciente apresente um histórico de sinusite crônica, estava saudável no momento do exame, sem qualquer complicação referente à patologia em questão”, anotou Sebastião Reis. “No que se refere ao estabelecimento penal em si, esse apresenta lotação aquém da capacidade e conta com equipe de saúde e protocolo estabelecido para a pandemia”.

Por unanimidade, os ministros da Sexta Turma seguiram o relator e negaram habeas corpus à Fábio ‘Taca Bala’.

A reportagem busca contato com a defesa de Fábio Paula Camanho, o espaço está aberto a manifestações.