Telão com discurso do prefeito reeleito, carro de som, bandeiras, jovens consumindo muita cerveja de garrafa e dando pouca importância ao distanciamento social. Na festa de comemoração da vitória de Bruno Covas (PSDB), as camisetas roxas com o lema “força, foco e fé” estavam na moda. Já as máscaras, nem tanto.

(Foto: Folha Press)

 

Os militantes tucanos que se agruparam na rua e no interior do Bar Sasha, em Pinheiros, região boêmia de São Paulo, não pareciam dar importância para a proteção. Ainda que no discurso da vitória que passava no telão o prefeito estivesse ressaltando que em São Paulo não se nega a existência da pandemia.

Rodrigo Jorge, que se define como empresário e militante do PSDB, disse que o evento reunia militantes do partido que trabalharam para a reeleição de Covas. “São os amigos que se juntaram e vieram aqui comemorar”, disse Jorge.

Ele não usava máscara quando foi abordado pela reportagem e questionado sobre isso disse que só não usava a proteção porque estava dando entrevista. “A pandemia está aí no mundo todo, não só em São Paulo.”

A reportagem tentou falar com Acácio Miranda, subprefeito de Pinheiros, que era apontado pela militância como um dos organizadores do encontro.

Ao saber que seria questionado sobre a aglomeração e o não uso de máscaras ele se recusou a falar com a reportagem.

Depois que a reportagem questionou os presentes sobre o desrespeito aos protocolos sanitários para evitar o contágio pelo novo coronavírus, o carro de som da campanha de Bruno Covas solicitou que as pessoas usassem máscara e se distanciassem.