A presidente nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann, disse que pode disputar o Senado pelo Paraná em uma eventual eleição suplementar caso o senador Sergio Moro seja cassado. A afirmação foi feita em entrevista à Banda B na manhã desta quarta-feira (13).

gleisi hoffmann
Reprodução Instagram Gleisi Hoffmann

“Nós estamos discutindo isso dentro do partido. Óbvio que nós dependemos de uma decisão da Justiça, nós não sabemos o que vai acontecer em relação ao ex-juiz Sergio Moro. Tem o julgamento marcado para o dia 1º no TRE e depois vão ter, com certeza, todos os recursos. Antes de ter qualquer definição, nós temos que esperar o julgamento acontecer, senão seria precipitado da nossa parte tomar decisões”, disse.

O julgamento que pode cassar o mandado de Moro está marcado para o dia 1º de abril. O ex-juiz da Lava Jato é acusado pelo PL e pelo PT de abuso de poder econômico, caixa dois e utilização indevida de meios de comunicação social durante a pré-campanha eleitoral de 2022. Moro nega todas as acusações.

Caso a eleição suplementar seja necessária, Gleisi diz que pretende entrar na disputa. A ideia da parlamentar é fazer a ponte entre o estado e o Governo Federal e, para isso, o cargo no Senado seria bastante útil.

“Eu já coloquei meu nome à disposição do partido, já fui senadora pelo Paraná. Acho que temos condições de fazer mais pelo estado, fazer ponte com o Governo Federal para trazer mais benefícios ao estado, fazer essa relação com Brasília que foi algo que eu fiz quando assumi o Senado e a gente estava governando o Brasil. Então, tem essa possibilidade sim”, pontuou.

Novo PAC Seleções 

Conforme a deputada, até junho o Governo Federal deve iniciar no Paraná as obras do Novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Seleções. 

“São mais de 231 ações, entre obras e equipamentos que vêm para o Paraná. O PAC Social que a gente chama e também Seleções, porque foram selecionadas as obras por município, são R$ 23 bilhões de investimentos no Brasil todo. Aqui para o Paraná estão vindo 51 creches e escolas de ensino infantil, 15 escolas de tempo integral, 46 ônibus escolares, uma maternidade com centro de parto normal, 75 unidades de saúde, 15 centros de cultura, duas policlínicas e 11 Centros de Atenção Psicossocial. Então, com certeza, são investimentos e obras que vão atender muitas famílias paranaenses”, garantiu.

Tarifa do pedágio

Gleisi repercutiu ainda os valores do novo pedágio paranaense. Nesta terça-feira (12), a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) anunciou os valores das tarifas dos lotes 1 e 2.

O que mais gerou repercussão foi o preço na praça de São José dos Pinhais, na BR-277, entre Curitiba e o Litoral. A tarifa teve uma redução de R$ 0,70 em relação ao valor praticado em novembro de 2021, caindo de R$ 23,30 para R$ 22,60. O argumento, segundo a Secretaria de Estado da Infraestrutura e Logística, seria a inflação.

“Eu também não gostei nada desse valor da tarifa de Paranaguá, porque continua alto. Óbvio que a gente conseguiu descontos importantes no interior, acho que esse registro precisa ser feito. No lote 2, por exemplo, a praça de Jacarezinho que era R$ 24,40 caiu para R$ 12. A gente teve no lote 1 descontos importantes que variaram de 10% a 28%, então se desconta a inflação caiu ainda mais. Mas de Paranaguá realmente não conseguiu se tirar”, considerou.

Veja a entrevista na íntegra

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Se Moro for cassado, Gleisi diz à Banda B que vai disputar o Senado em eventual eleição suplementar

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.