O pleito eleitoral de 2020 foi o primeiro afetado pela Reforma Eleitoral de 2017, aprovada e promulgada pelo Congresso Nacional. Dentre as mudanças, uma da mais significativas foi a que impôs o fim das coligações proporcionais para a Câmara Municipal, medida que também será válida para a Assembleia Legislativa e Câmara Federal a partir de 2022. Mas em Curitiba, será que a mudança alterou muito o quadro legislativo?

Foto: Divulgação Câmara de Curitiba

Com objetivo de responder a essa pergunta, a reportagem da Banda B fez um levantamento que tem como base as coligações das chapas formadas para a Prefeitura de Curitiba.

O DEM do prefeito Rafael Greca, por exemplo, fez cinco cadeiras na Câmara Municipal de Curitiba para a legislatura de 2021 a 2024. Agora, se formasse uma proporcional, a chapa faria 18 cadeiras.

Levando em conta a soma entre todos os partidos da coligação (DEM, PSD, PP, PSB, PTB, PSC, PMN, PRTB, Cidadania e Republicanos), temos uma soma 16. Ou seja, se coligados, os partidos ligados a Greca fariam duas cadeiras a mais na Câmara.

Já a oposição se beneficiou da medida. PDT e PT elegeriam apenas dois vereadores. Ou seja, Dalton Borba e Renato Freitas não estariam listados entre os eleitos.

O PSL de Fernando Francischini é outro partido que se beneficiaria do sistema proporcional coligado. Segundo o levantamento, Rodrigo Reis e Cassiano Caron estariam entre os eleitos da chapa.

Confira como ficaria a composição da Câmara com o sistema proporcional:

DEM, PSD, PP, PSB, PTB, PSC, PMN, PRTB, Cidadania e Republicanos – 18 cadeiras

1 – SERGINHO DO POSTO – DEM

2 – PROFESSOR EULER – PSD

3 – BETO MORAES – PSD

4 – OSIAS MORAES – REP

5 – PIER – PTB

6 – ZEZINHO DO SABARÁ – DEM

7 – HERIVELTO OLIVEIRA – CIDADANIA

8 – SABINO PICOLO – DEM

9 – MAURO IGNACIO – DEM

10 – MARCELO FACHINELLO – PSC

11 – TONINHO DA FARMÁCIA – DEM

12 – PASTOR MARCIANO ALVES – REP

13 – OSCALINO DO POVO – PP

14 – DR WOLMIR AGUIAR – REP

15 – NORI SETO – PP

16 – RAFAELA LUPION – DEM

17 – JORNALISTA MARCIO BARROS – PSD

18 – ÉDER BORGES – PSD

PSL, PSDB, Solidariedade, Patriota e DC – 8 cadeiras

1 – FLÁVIA FRANCISCHINI – PSL

2 – JOÃO DA LOJA 5 IRMÃOS – PSL

3 – SARGENTO TÂNIA GUERREIRO – PSL

4 – ALEXANDRE LEPREVOST – SOL

5 – SIDNEI TOALDO – PATRI

6 – GEOVANE FERNANDES – PATRI

7 – RODRIGO REIS – PSL

8 – CASSIANO CARON – PSL

PL e PROS – 2 cadeiras

1 – TICO KUSMA – PROS

2 – FERNANDO DA PADARIA – PROS

PARTIDOS SEM COLIGAÇÃO

PODEMOS – 1

1 – Denian Couto

NOVO – 2

1 – INDIARA BARBOSA

2 – AMÁLIA TORTATO

PDT – 2

1 – MARCOS VIEIRA

2 – TITO ZEGLIN

MDB – 1

1 – Noemia Rocha

PMB – 1

1 – Ezequias Barros

PT – 2

1 – Carol Dartora

2 – Professora Josete

PV – 1

1 – Maria Leticia