O Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) divulgou  nesta segunda-feira (10) a lista dos 100 parlamentares mais influentes no Congresso Nacional e oito deputados do Paraná estão entre os considerados “Cabeças do Congresso”. Nenhum senador aparece entre os mais influentes.

São eles: Enio Verri (PT), Felipe Francischini (PSL), Filipe Barros (PSL), Gleisi Hoffmann (PT), Gustado Fruet (PDT), Ricardo Barros (PP), Rubens Bueno (Cidadania) e Sergio Souza (MDB).

 

Foto: (Marcelo Camargo/Arquivo Agência Brasil)

 

Os “Cabeças” do Congresso Nacional são, na definição do DIAP, aqueles parlamentares que conseguem se diferenciar dos demais pelo exercício de todas ou algumas das qualidades e habilidades aqui descritas.

Entre os atributos que caracterizam um protagonista do processo legislativo, destacamos a capacidade de conduzir debates, negociações, votações, articulações e formulações, seja pelo saber, senso de oportunidade, eficiência na leitura da realidade, que é dinâmica, e, principalmente, facilidade para conceber ideias, constituir posições, elaborar propostas e projetá-las para o centro do debate, liderando sua repercussão e tomada de decisão.

Enfim, é o parlamentar que, isoladamente ou em conjunto com outras forças, é capaz de criar seu papel e o contexto para desempenhá-lo.

A pesquisa inclui apenas os parlamentares que estavam no efetivo exercício do mandato no período de avaliação, correspondente ao período de fevereiro a junho de 2019. Assim, quem esteve ou está licenciado do mandato, mesmo influente, não faz parte da publicação.

Por isto, não constam entre os 100 mais influentes de 2019 os deputados e ministros do governo Jair Bolsonaro — Onyx Lorenzoni (DEM-RS), ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República; Osmar Terra (MDB-RS), ministro da Cidadania; Tereza Cristina (DEM-MS), ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; e o deputado Mauro Benevides Filho (PDT-CE), secretário de Planejamento no estado do Ceará.

Além dos 100 “Cabeças”, desde a 7ª edição da série, o DIAP divulga levantamento incluindo na publicação anexo com outros parlamentares que, mesmo não fazendo parte do grupo dos 100 mais influentes, estão em plena ascensão, podendo, mantida a trajetória ascendente, estar futuramente na elite parlamentar. São os parlamentares em “Ascensão” no Poder Legislativo.

Critérios

Para a classificação e definição dos nomes que lideram o processo legislativo, o DIAP adotou critérios qualitativos e quantitativos que incluem aspectos posicionais (institucionais) reputacionais e decisionais.

O órgão entende como critério posicional ou institucional, o vínculo formal ou o posto hierárquico ocupado na estrutura de uma organização; o reputacional, a percepção e juízo que outras pessoas têm ou fazem sobre determinado ator político; e o decisional, a capacidade de liderar e influenciar escolhas.

Confira a lista completa de parlamentares aqui