Distantes 120 km, as cidades de Piên e Rio Branco do Sul, região metropolitana de Curitiba, estarão politicamente mais próximas a partir de 1° de janeiro, quando Maicon Tiguera, de 29 anos, e Karime Fayad, de 30, assumirem as prefeituras das cidades. Ambos são jovens e fazem parte do partido Republicanos, carregando uma enorme responsabilidade e uma vitória contra políticos com carreiras de longa data nos municípios.

 

Karime Fayad e Maycon Tiguera assumem as Prefeituras de Rio Branco do Sul e Piên (Foto: Reprodução)

 

A arquiteta e urbanista Karime Fayad vai assumir a Prefeitura de Rio Branco do Sul, maior cidade do Vale do Ribeira, que tem mais de 32 mil habitantes e que teve, em 2010, o assassinato do prefeito Adel Rutz e, em 2015, do ex-prefeito João Dirceu Nazzari. O município sempre teve como gestores políticos de famílias tradicionais e agora será comandado por uma jovem de 30 anos, a primeira mulher a ocupar o cargo no Executivo.

“Sofri preconceito por ser mulher e teve também a questão da idade, especialmente na primeira candidatura em 2016, quando perdemos por pouco mais de mil votos. Rio Branco tem uma velha política muito forte, com duas pessoas que foram prefeitas assassinadas. A grande diferença de votos que tive em relação ao segundo colocado mostra que a população escolheu a renovação”, descreveu Karime, que foi eleita com 57,81% dos votos, em entrevista ao Jornal Metropolitano.

Na região Sul metropolitana está a cidade de Piên, com pouco mais de doze mil habitantes. Em disputa com Gilberto Dranka, o radialista Maicon Tiguera foi eleito com 60,56% dos votos. O município, marcado pelo assassinato do prefeito eleito em 2016 Loir Dreveck, o qual o Ministério Público aponta Dranka como mandante, também optou pela renovação.

“A política fez muito mal a nossa cidade, que agora optou pela renovação. Fiz a campanha com os pés no chão, pensando em propostas efetivas para começar melhorando as pequenas coisas. Aqui existe muito o costume da esposa do prefeito ser secretária e isso não vai mais acontecer. O prefeito e o vice são peças de uma engrenagem. Quem comanda a Educação, tem que ter a vivência de uma sala de aula e quem está à frente da saúde, tem que ter vivência na área. Teremos uma gestão técnica”, garantiu Tiguera.

Começou na adolescência

Karime durante campanha em Rio Branco do Sul (Foto: Facebook)

 

Karime Fayad tem uma história em questões políticas que começou já na adolescência, quando fez parte de movimentos na luta pela duplicação da Rodovia dos Minérios. Em 2016, perdeu a eleição à Prefeitura por pouco mais de mil votos e, em 2018, conseguiu a suplência à deputada estadual, com expressivos 14 mil votos. “Trabalhei com o ex-prefeito de Pinhais e agora deputado federal, Luizão Goulart, que foi quem me levou à política. Sei que estou com os ombros pesados, porque a responsabilidade é enorme, porque nossa campanha foi baseada em promessas, mas me sinto preparada para cumpri-las”, disse.

O trabalhou já começou e a expectativa é de que Rio Branco do Sul se estabeleça como um grande polo do Vale da Ribeira. “Já estou escolhendo nomes para o secretariado, baseados em uma escolha técnica. Minha intenção é fazer uma transição tranquila e já solicitei ao atual prefeito que isso aconteça. A grande preocupação é a queda da arrecadação para 2021, por conta da pandemia, mas estamos esperançosos em uma recuperação econômica. Rio Branco do Sul tem muitos atrativos turísticos e econômicos que precisam ser mais explorados, trabalhando em conjunto com outras cidades do Vale da Ribeira e também da região metropolitana de Curitiba”, concluiu Karime.

Virar a página

Maicon Tiguera em campanha na cidade de Piên (Foto: Divulgação)

 

Eleito o prefeito mais jovem da história de Piên, Maicon Tiguera tem como grande responsabilidade virar a página política da cidade, como o próprio afirmou, levando às pessoas as virtudes que a o município tem. “É uma grande missão de virar a página em Piên. Temos uma grande responsabilidade, que é a confiança da população em uma politica nova. Servir e não ser servido. Precisamos primeiramente qualificar o serviço público, acertando a casa. Temos obras de asfalto a serem realizada, manter a questão da limpeza pública e deixar tudo em ordem em 2021, para no ano seguinte começar a pensar em obras maiores”, ponderou.

Piên faz parte do terceiro anel da região metropolitana de Curitiba e está na divisa com Santa Catarina. Tiguera acredita que o trabalho, especialmente em conjunto com a região metropolitana de Curitiba, precisa ser melhor estruturado, contando com o apoio de Gilson Santos, presidente da COMEC (Coordenação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba), que foi indicado pelo Republicanos, partido do prefeito, para o cargo. “Dependemos de Curitiba porque nossos atendimentos médicos de média e alta complexidade são em Curitiba e o lixo nosso vai para Fazenda Rio Grande, então dependemos muito disso. Mas também temos serviços a oferecer, com um hospital com estrutura de grande qualidade, que talvez Fazenda Rio Grande não tenha. Hoje isso não acontece e podemos oferecer com uma boa gestão”, finalizou.

A entrevista completa com os dois prefeitos eleitos você pode conferir no Jornal Metropolitano, da Rádio Banda B, que vai ao ar sábado (às 23h) e domingo (ás 6h).