O pré-candidato ao governo do Paraná Roberto Requião (PT) fez críticas ao governador do estado, Carlos Massa ‘Ratinho Junior’ (PSD), em entrevista ao vivo para a jornalista Denise Mello, na Rádio Banda B, na manhã desta quinta-feira (5).

O pré-candidato Roberto Requião (PT) e a jornalista Denise Mello.
Foto: Banda B.

O político de 81 anos de idade, que tenta o cargo de governador do estado pela quarta vez pelo partido do pré-candidato à presidência Luiz Inácio Lula da Silva, acredita que não há adversário para ele, ao afirmar que será eleito logo no primeiro turno nas eleições de outubro de 2022, com 60% dos votos.

“O Paraná segue uma linha neoliberal adotada no Brasil, eles estão destruindo o estado, ferrando os mais pobres, em benefício de milionários”,

afirmou.

Requião afirmou que o único feito do atual governador teria sido a venda da Copel Telecom.

“A ‘ratarada’, o ‘Ratão’ [em referência ao pai do governador, o apresentador de televisão Ratinho], e o ‘Ratinho’, têm a outorga de 104 antenas de rádio no Paraná. Eles dominam algumas televisões regionais e têm a propriedade do SBT. Eles puseram no orçamento deste ano pra gastar R$ 161 milhões. Mas, para mostrar o que? Eles não têm nada pra mostrar […] A única coisa que o ‘Rato’ fez até agora foi vender a Copel Telecom, que era a Copel pública sonhada por todos os países do mundo”, disse.

O pré-candidato ao governo do Paraná também acusou Ratinho Jr de estar “destruindo” a Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel). “Eles estão destruindo a Copel, eles querem vender a Copel. Eles fizeram uma assembleia, e o ‘Rato’ decidiu, porque os que votam lá votam a mando do governo, que a Copel cobrará sempre a tarifa mais alta autorizada pela Anael, e não precisa. Esse pessoal não está administrando pro Paraná e o estado está em uma regressão brutal.”

“Não sou candidato do PT, sou candidato de um movimento”

O ex-governador e ex-senador perdeu a reeleição para o Senado e deixou o MDB. Ele aceitou ao chamado do PT para ser pré-candidato ao Palácio Iguaçu, mas afirma acreditar na ideia de representar um movimento, mais do que em um único partido.

“Não sou candidato do PT, sou candidato de um movimento para consertar o país. Sou parceiro do Lula nessa campanha, fundamentalmente porque eu diria que Lula tem qualidades e defeitos. Se o lulismo é um credo, não sou devoto. Mas temos que fazer um esforço para recuperar a soberania do Brasil, a dignidade do trabalho, um desenvolvimento sustentável que não acabe com a natureza, como estão tentando fazer com a Amazônia, e o caminho para isso, racionalmente, com seus defeitos e qualidades, é Lula”,

argumentou Requião.

“Falo em defeitos e qualidades, porque eu tenho defeitos e qualidades. Eu tive acertos enormes no nosso governo, mas claro que cometi alguns erros. Temos que chamar esses erros de experiência, para não repeti-los. E, com a experiência e competência adquirida no exercício de cargos públicos, podemos consertar o Paraná e abrir um caminho para o conserto do Brasil.”

Requião criticou ainda os valores das tarifas de água e energia elétrica no Paraná, pedágio, salários de servidores públicos, os históricos rivais políticos Álvaro Dias e Beto Richa e a guerra na Ucrânia.

Confira a entrevista na íntegra

Leia também:

Outro lado

A Banda B entrou em contato com a assessoria de imprensa do governador Ratinho Jr, para manifestação sobre as declarações. O espaço segue aberto.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Requião ataca Ratinho Jr e acredita na eleição no 1º turno com 60% dos votos: ‘Estão destruindo o Paraná’

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.