O governador Ratinho Junior pode barrar o reajuste de 9,62% nas tarifas da Sanepar. Pelo menos é o que informou o líder do governo na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), Hussein Bakri (PSD), na tarde desta quarta-feira (26). Segundo ele, o governador Ratinho Junior está estudando a possibilidade de reverter a homologação da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná (Agepar).

Foto: Divulgação Alep

Durante a sessão plenária, Bakri disse que é unânime na base que o momento não é adequado para o reajuste. “Evidentemente que não concordamos e isso foi dito para todo o governo, inclusive para o chefe da Casa Civil [Guto Silva]. Eu pessoalmente, se me perguntar agora, acho que o governador tem plenas condições, já que é o chefe de estado e poder de reverter uma situação como essa”, disse.

O pedido de reajuste foi encaminhado à Agepar em fevereiro deste ano e deveria ter sido homologado em abril, com entrada em vigor a partir de maio. Para Bakri, foi uma coincidência “terrível”.

“Ainda é preciso dizer que a Sanepar não está fazendo nenhum desligamento, não está fazendo a cobrança da tarifa social. Estamos conversando com o governador, com o chefe da Casa Civil. Fácil eu sei que não é, mas o governador está estudando a possibilidade de que possa fazer a reversão desse quadro”, concluiu Bakri.

Reajuste

O anúncio de reajuste foi feito pela Agepar nesta terça-feira (25). Segundo a agência, o reajuste repõe custos da Sanepar com energia elétrica, pessoal, produtos químicos nos tratamentos de água e de esgoto, manutenção e operação de redes, estações e equipamentos e faz frente aos investimentos da companhia.

Segundo a Agepar, o pedido de reajuste foi feito em fevereiro, mas em abril foi suspenso para ajudar a enfrentar as dificuldades econômicas causadas pela pandemia do Covid-19. A determinação durou 60 dias, prorrogada por mais 60 dias, encerrando em 17 de agosto de 2020.