(Antonio Cruz/Agência Brasil)

Depois de dois trimestres marcados por índices de crescimento próximos de zero, a economia viu uma leve melhora no terceiro trimestre de 2018. O crescimento segue em marcha lenta, mas teve uma pequena aceleração em relação ao observado no primeiro semestre.

De acordo com o IBGE, entre julho e setembro, o PIB (Produto Interno Bruto) avançou 0,8% em relação ao trimestre anterior – contra crescimento de 0,2% tanto no período de janeiro a março quanto no intervalo entre abril e junho, na comparação com os períodos imediatamente anteriores e já feito o ajuste sazonal.

“Sobrevivemos”, resume a economista Silvia Matos, coordenadora do Boletim Macro do Ibre-FGV (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas). “Não é um crescimento maravilhoso ainda, mas é razoável diante do que perdemos, depois de um segundo trimestre com greve de caminhoneiros, e um terceiro trimestre difícil, com pioras no mercado internacional e um cenário eleitoral conturbado.”

A melhora recente do PIB ajudou a compensar pelo impacto negativo que a paralisação dos caminhoneiros teve no segundo trimestre. Para Margarida Gutierrez, especialista em contas públicas e professora da Coppead/UFRJ, essa recuperação tende a se acentuar no quarto trimestre.

A reação dos índices de confiança do consumidor, do comércio e da indústria divulgados nesta semana pela FGV corrobora essa expectativa.

Para ler a matéria completa na BBC Brasil clique aqui.