O ex-policial penal Jorge Guaranho disse “petistas vão morrer” ao atirar e matar o tesoureiro do PT Marcelo Arruda, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, segundo laudo pericial presente em um parecer técnico encomendando pela assistência de acusação. O ex-agente federal irá a júri popular na próxima quinta-feira (4) por matar a tiros o guarda municipal durante a festa de aniversário de 50 anos dele.

O documento baseado em um laudo de leitura labial e imagens de câmeras de segurança aponta que Jorge Guaranho também gritou frases como: “Aqui é Bolsonaro, Bolsonaro, porra! Petralha!” e “Pra baixo, pra baixo, pra baixo”. Para os advogados que representam a família de Marcelo Arruda, o laudo confirma motivação política por trás da morte dele.

jorge-guaranho-e-marcelo-arruda
O tesoureiro do PT Marcelo Arruda e o ex-policial penal Jorge Guaranho – Foto: Reprodução

A assistência de acusação afirma que o parecer, de 61 páginas, deverá ser utilizado no julgamento para “garantir que o réu seja condenado por homicídio doloso duplamente qualificado, por motivo fútil e perigo comum”, uma vez que o crime foi cometido durante a festa de aniversário de Marcelo Arruda.

No parecer obtido pela Banda B, o laboratório Análise de Credibilidade conclui que a identificação e tradução das frase ditas por Guaranho foram feitas com base no uso “da análise da situação comunicativa”, do “estudo da análise corporal e das microexpressões faciais”. “Desta forma, foi possível identificar a verbalização dos sons vocálicos, a parte dos sons consonantais, as expressões faciais de raiva e a postura intimidatória”, diz o laudo.

Em alguns momentos, o perito Anderson de Jesus Anchieta Carvalho e a fonoaudióloga Renata Christina Vieira – que assinam o laudo – destacam a tentativa de intimidação por parte do ex-policial penal, a “raiva”, o “asco”, a postura de ataque e ameaça.

“Os laudos realizados pelo Instituto de Criminalística e o laudo complementar, feito por perito contratado por nós, demonstram a robustez e, de forma bastante farta, a existência de provas com relação à motivação política do crime. O que se espera agora, no júri, é que isso venha à tona para demonstrar, de forma definitiva, a produção de fake news com o objetivo de palidecer o trabalho realizado até aqui pelo Ministério Público e pela assistência de acusação”, disse o advogado Daniel Godoy.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Ex-policial penal disse ‘petistas vão morrer’ ao matar tesoureiro do PT em Foz, aponta laudo

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.