O deputado federal Ney Leprevost confirmou, na noite deste sábado (5), a retirada da pré-candidatura à Prefeitura de Curitiba pelo PSD. Em nota, ele diz que prefere “continuar contribuindo como deputado federal ou como secretário de estado para melhorar a vida dos mais humildes, promover a geração de empregos e ajudar a mudar a cultura política brasileira”. Com a decisão, Leprevost abre caminho para que Eduardo Pimentel componha a chapa de reeleição com Rafael Greca (DEM).

Foto: Arnaldo Alves / AEN.

Ratinho Junior fez o pedido para Ney Leprevost reassumir a Secretaria de Justiça, Família e Trabalho do Paraná na última sexta-feira (4). Para o governador, Leprevost ainda terá a oportunidade de disputar as eleições. “Ele tem só 46 anos. Ainda vai ser um grande prefeito de Curitiba. Tem capacidade para ser senador ou governador um dia. Mas, no momento, precisamos do Ney comandando a retomada dos empregos e o socorro às famílias em vulnerabilidade que tiveram sua situação agravada devido a esta pandemia”, disse.

Como Eduardo Pimentel se filiou ao PSD em março, a expectativa é de que ele novamente dispute as eleições municipais ao lado de Rafael Greca, que foi confirmado como candidato à reeleição na última segunda-feira (31).

Confira a nota completa divulgada por Ney Leprevost

O estado de anormalidade está demorando mais tempo do que imaginávamos para passar.

As eleições este ano serão atípicas. Pouco democráticas.

Devido a Covid 19, é impossível prever o percentual de eleitores que irão às urnas.

Certamente não acontecerão reuniões públicas, caminhadas nos bairros, visitas as casas das pessoas, jantares por adesão…

Não será sequer possível um aperto de mãos entre o eleitor e seu candidato para selarem, olhos nos olhos, a sua aliança.

Todos sabem que tenho um sonho de servir Curitiba como seu prefeito. Mas as vezes é necessário ir um passo atrás para dar um salto a frente.

Quem me conhece sabe que coragem e humildade sempre nortearam minhas decisões. E por isto, após pedir luz ao Espírito Santo, finalmente enxergo que nesta disputa diferente que vai acontecer em 2020, alguém com meu caráter tem pouquíssimas chances. Não me sinto à vontade para colocar meus eleitores, amigos e familiares em uma aventura. Esta campanha majoritária curta, restritiva e focada só em redes sociais, favorece apenas os que tem grande poder econômico para patrocinar gigantescos impulsionamentos e os que tem a seu serviço verdadeiras quadrilhas digitais.

Neste momento, retiro minha pré candidatura a prefeito. Prefiro continuar contribuindo como deputado federal ou como secretário de estado para melhorar a vida dos mais humildes, promover a geração de empregos e ajudar a mudar a cultura política brasileira. Quando voltarmos a ter eleições livres e transparentes, certamente estarei ainda mais preparado para ser prefeito de todos os curitibanos.