Os oito candidatos à Prefeitura de Curitiba que participaram na noite dessa quarta-feira (14) da segunda etapa do debate promovido pela Band TV, não deixaram por menos: criticaram as políticas do prefeito Rafael Greca (DEM) no combate à pobreza, geração de empregos, população em situação de rua e transporte coletivo. A informação é do blog Contraponto.

Reprodução TV Band

O debate reuniu Christiane Yared (PL), Goura (PDT), Professora Samara (PSTU), Zé Boni (PTC), Diogo Furtado (PCO), Carol Arns (Podemos), Letícia Lanz (PSOL) e Eloy Casagrande (Rede). Com a segunda parte, a Band TV encerrou o primeiro debate entre 15 dos 16 postulantes à Prefeitura de Curitiba.

O prefeito,que concorre à reeleição, não participou da primeira parte, realizada no último dia 1, nem da segunda sob o argumento de falta de “segurança sanitária” por causa da pandemia do Covid-19. Por causa da doença, Greca chegou a ficar internado no Hospital Nossa Senhora das Graças, em Curitiba.

Goura, por exemplo, criticou a falta de transparência nos contratos do lixo e do transporte coletivo. A candidata Letícia Lanz afirmou que o projeto de governo da atual gestão “está vencido”. Carol Arns reclamou que a tarifa do transporte coletivo “está muito alta”. Christiane Yared, por sua vez, garantiu que “a postura da prefeitura não é correta investindo nas empresas do transporte coletivo sem baixar em um centavo a tarifa”.

Já o candidato Zé Boni afirmou que “Curitiba está vivendo de velhas ideias. Talvez deu certo em outras épocas. Mas agora é preciso de mudança”, defendeu.

A professora Samara denunciou que “Curitiba gasta cerca de R$ 200 milhões anualmente para enterrar lixo em Fazenda Rio Grande. Não temos uma política de compostagem

Diogo Furtado ficou em temas nacionais, denunciando o que chamou de “golpe” contra a ex-presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula. Também criticou as eleições que, segundo ele, “são uma farsa. Não servem para nada. É um jogo de cartas marcadas”.

Leia mais no Contraponto