O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, teve alta no fim da tarde terça-feira (3) do HFA (Hospital das Forças Armadas), onde estava internado desde domingo (1o), após ser transferido de um hospital particular.

A informação foi confirmada pelo Ministério da Saúde. Em nota, a pasta diz que “Pazuello seguirá sendo monitorado pela equipe médica que o acompanha desde o início do tratamento para a Covid-19″, mas em sua residência, na capital federal”.

Ainda segundo a pasta, o ministro se submeteu a um novo teste para o coronavírus e aguarda o resultado.

Pazuello foi diagnosticado com Covid-19 em 21 de outubro. Inicialmente, o ministro ficou em isolamento no hotel de trânsito de oficiais militares, em Brasília.

Um dia após o diagnóstico, ele chegou a receber uma visita do presidente Jair Bolsonaro e a afirmar que estava tomando hidroxicloroquina – remédio sem comprovação de eficácia para Covid – e outros medicamentos.

Foto: Agência Brasil

Na noite de sexta (30), Pazuello foi internado em um hospital particular de Brasília com desidratação. Na ocasião, o Ministério da Saúde negou que houvesse um agravamento do quadro.

Segundo a pasta, o ministro recebeu a recomendação de permanecer no hospital após fazer exames previstos para acompanhar o tratamento da Covid. Até então, a informação era que ele seria liberado em breve, o que só ocorreu no domingo (1o).

Horas após divulgar que ele teve alta do hospital particular, a pasta informou que ele passaria a noite no Hospital das Forças Armadas para ser acompanhado pela equipe médica como medida preventiva.

Já na segunda (2), a pasta informou que seguia no HFA para repouso, mas já não apresentava desidratação. Também não houve nenhuma nova intercorrência, informou o ministério, sem divulgar detalhes do quadro.

Antes de ser diagnosticado com Covid-19, Pazuello já havia relatado a auxiliares ter apresentado mal-estar e febre, o que o levou a cancelar a participação em um evento no Palácio do Planalto e agendas da pasta. O diagnóstico foi então confirmado no dia 21.

No dia seguinte, contrariando orientações de isolamento, o ministro recebeu a visita do presidente Jair Bolsonaro e participou de uma transmissão ao vivo com o presidente, em que ambos estavam sem máscara.

Questionado pelo presidente sobre quais medicamentos estava tomando, o ministro respondeu que tomava hidroxicloroquina associada a outros remédios. Disse ainda ter tido melhora no quadro.

Bolsonaro então aproveitou a ocasião para fazer uma defesa da hidroxicloroquina. O medicamento, porém, não tem comprovação de eficácia contra a Covid-19.

O presidente também aproveitou a ocasião para comentar a crise que levou o ministério a recuar de um anúncio da compra de 46 milhões de doses da vacina Coronavac, em desenvolvimento pelo Instituto Butantan com o laboratório chinês Sinovac.

“Um manda, e o outro obedece”, afirmou Pazuello em meio a polêmica.

Até o momento, ao menos 12 ministros do governo já foram diagnosticados com Covid-19.