O Ministério Público Eleitoral do Rio de Janeiro afirmou neste sábado (7) que vai apurar possível conduta eleitoral ilícita do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em live exibida ao vivo na última quinta-feira (5) em suas redes sociais.

(Foto: Reprodução)

 

O órgão aponta que Bolsonaro fez propaganda em favor de vários candidatos no vídeo, inclusive políticos de municípios fluminenses. Os promotores iniciaram investigação a pedido da Procuradoria Regional Eleitoral.

A procuradora regional eleitoral Silvana Batini encaminhou ofício ao Centro de Apoio Operacional das Promotorias Eleitorais/RJ solicitando que seja apurada a prática de ilícitos eleitorais pelo presidente, em atuação dos promotores em combate á propaganda irregular e abuso no uso dos meios de comunicação.

No vídeo, Bolsonaro pediu voto para dez candidatos a vereador, como seu filho Carlos Bolsonaro (Republicanos), no Rio de Janeiro. “Dispensa comentários. É um dos responsáveis pela minha eleição a presidente. Em consequência disso, é terrivelmente perseguido pela mídia. Obrigado a quem atender o pedido da gente aí”.

Outra candidata a vereadora lembrada por Bolsonaro foi a ex-funcionária-fantasma Wal do Açaí, em Angra dos Reis. “Wal Bolsonaro, ainda botou o Bolsonaro! Valeu, Wal, vou te adotar ainda”, disse o presidente na gravação. “Se alguém puder votar na Wal em Angra, agradeço”.

Bolsonaro também pediu por votos por mais oito candidatos em São Paulo, Belo Horizonte, Boa Vista, Fortaleza, Teresina e Aracaju. Ainda fez campanha para o Senado do Mato Grosso e para outros sete candidatos a prefeitos, entre eles Marcelo Crivella (Republicanos), no Rio, e Celso Russomano (Republicanos), em São Paulo.