Em outubro de 2022, Roberto Requião de Melo e Silva terá 81 anos e certamente a idade não será empecilho para este emedebista “Velho de guerra” disputar o Governo do Paraná pela quinta vez. Questionado em entrevista à Banda B nesta segunda-feira (4), se pretende disputar a eleição ao governo em 2022, Requião diz que bastar chamar.

“Você me pergunta se posso disputar o governo em 2022 e respondo: Não vou deixar de participar da política brasileira. Me chama que eu vou”.

Mas que chamado seria esse?

“O chamado da opinião pública. Preciso saber qual é o chamado que tenho por parte das pessoas que acreditam no trabalho que desempenho. Estou na política. Como vou participar das eleições, vai depender da opinião da população”.

Roberto Requião – Reprodução Twitter

Requião já foi governador por três vezes e perdeu apenas uma disputa em 2014, para Beto Richa. Também já foi prefeito de Curitiba, deputado estadual e senador. Na última disputa, em 2018, ao contrário do que apontavam as pesquisas eleitorais, não conseguiu uma das duas vagas na tentativa de reeleição ao Senado. Derrota que, na opinião de Requião, não trará nenhum prejuízo em uma eventual disputa em 2022.

“Foi uma onda de Bolsonaro e quando prenderam o Beto Richa, o Ibope dizia que eu seria o senador mais votado do Brasil proporcionalmente… o Requião está eleito…vote no Oriovisto, no Arns, só para que o Beto não entre… além disso houve as mentiras pelo whats e pela TV: ‘O Requião bate na mulher, o Requião recebeu R$ 490 mil de aposentadoria’… sabe qual é a minha aposentadoria pelo INSS hoje? Recebo R$ 2.870,00 por mês, ou seja, vivo das economias que fiz com dificuldade e restrição de consumo, mas nunca me incomodei com isso. Meu objetivo sempre foi melhorar a vida da população e não a minha”.

Ratinho Jr e Greca

Na entrevista à jornalista Denise Mello, Requião também fez duras críticas tanto ao atual governador, Ratinho Jr (PSD), quanto ao prefeito reeleito de Curitiba, Rafael Greca (DEM).

Para o emedebista, o atual governo não prioriza a população. “O que vejo hoje? Aumento da conta de luz, da água, do pedágio e muita propaganda. O estado do Paraná está abandonado. Acho que o Brasil precisa de gente que se identifique com a população, que se volte para o social como sempre fiz”.

Questionado se pensa em enfrentar Ratinho Jr em uma eventual tentativa de reeleição, Requião ataca:

“Não calculo se vou enfrentar este ou aquele. Tive 84% de aprovação do meu governo e posso dar um jeito no Paraná sem pensar em adversário, até porque não existe adversário do ponto de vista de quem trabalha pela população”.

Sobre Greca, Requião fala da aliança entre o atual prefeito com o governador, que levou o vice, Eduardo Pimentel para o PSD.

“Essa manobra tem interesses econômicos por trás (…) Greca passou para o outro lado não por um acordo, mas pelos interesses de grupos econômicos que ganham fortunas em contratos do estado e das prefeituras”, completa.