O deputado federal Ney Leprevost (PSD) afirmou, na tarde deste domingo (6), que não irá apoiar a candidatura de Rafael Greca (DEM) à reeleição em “hipótese nenhuma”. Em entrevista à Banda B, ele disse que está avaliando a convocação de Ratinho Junior para reassumir a Secretaria de Justiça, Família e Trabalho do Paraná, mas que entende que o governador está cometendo “um erro” na decisão de apoio ao pleito municipal.

Foto: AEN

“A vontade do governador é que Eduardo Pimentel seja vice de Greca e, até por isso, eu devo me licenciar da presidência do partido, porque não vou participar da campanha em hipótese nenhuma. Minhas divergências com Greca são históricas e seria incoerente da minha parte apoiá-lo. Entendo que o governador comete um erro político nesse momento, mas compreendo até mesmo como amigo. De qualquer forma, tenho cá comigo que Greca pode lá na frente fazer com Ratinho o que fez com todos que o apoiaram, que é virar as costas. Foi assim com Jaime Lerner, foi com Fani Lerner, Cassio Taniguchi, Roberto Requião e Beto Richa”, afirmou.

Eduardo Pimentel é o atual vice de Greca e pode disputar a reeleição na mesma chapa. A convenção do PSD, que pode definir a nomeação, está marcada para acontecer no próximo dia 15 de setembro.

Uma das principais críticas de Leprevost contra Greca tem relação com a atual pandemia do coronavírus. Para ele, o prefeito errou por várias vezes. “Eu entendo que o prefeito fechou cedo demais, depois reabriu na hora certa, agora fecha novamente, não adotou o protocolo correto em relação à Covid-19, que seria oferecer já no início da doença a hidroxicloroquina, a azitromicina e a ivermectina, somados com a vitamina D, ele permitiu que os ônibus continuassem a trafegar lotado, então não tomou medidas corretas”, disse.

Outro ponto que teria feito Leprevost desistir da candidatura seria a forma com que a eleição irá ocorrer em 2020, principalmente com a distância física do eleitor.

De volta ao governo?

Com o convite, há uma expectativa que Leprevost retorne ao Governo do Estado. Durante a entrevista, ele afirmou que ainda está avaliando a convocação de Ratinho Junior. “Eu, no ano passado, através de uma postura proativa das Agências do Trabalhador, consegui criar programas de geração de emprego que resultaram na empregabilidade de mais de 120 mil pessoas no Paraná com carteira assinada. Devido a isso, o governador me fez um apelo muito forte, me colocou contra a parede, para ajudá-lo na retomada dos empregos pós-pandemia. Estou avaliando o convite, tenho amizade com o governador, e é evidente que estou avaliando com muito cuidado e carinho”, concluiu.

Em nota enviada à imprensa na última sexta-feira (4), Ratinho Junior fez vários elogios a Leprevost. “O Ney é homem da minha confiança, gestor sério e competente, um dos principais generais do nosso exército. Preciso que ele retorne rápido ao governo. Tenho certeza de que não se negará a ajudar o Paraná”, afirmou.

O primeiro turno das eleições municipais está marcado para o dia 15 de novembro.