O hacker Thiago Eliezer dos Santos, apontado como um dos líderes do grupo que atuou na invasão do aplicativo Telegram no telefone celular do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro, de procuradores da Lava Jato e de autoridades públicas, diz que guardou um acervo de conversas inéditas envolvendo integrantes da força-tarefa.

Foto: EBC

O hacker tenta fechar um acordo de delação premiada na investigação da Operação Spoofing. A informação é da coluna de Aguirre Talento, do jornal O Globo.

Metrópoles procurou a defesa de Thiago Eliezer questionando sobre a informação, mas ainda não obteve retorno.

Para ler a matéria completa no portal Metrópoles, parceiro da Banda B, clique aqui.