(Foto: Daniela Sevieri – Banda B)

 

Após reunião com o governador Ratinho Júnior (PSD) nesta terça-feira (22), o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN), afirmou que ainda não há nada decidido sobre o subsídio do Governo do Paraná para auxiliar o transporte coletivo da capital e região. Ele declarou, no entanto, que não pode descartar a possibilidade de aumento da passagem, devido à alta dos custos para gerir o sistema.

“Um reajuste na passagem, por causa da desoneração do óleo diesel e o aumento dos custos, vai acabar acontecendo. Mas nós vamos trabalhar intensamente para que ele seja o menor possível. Claro que o subsídio do governo ajuda”, disse ele em entrevista coletiva depois que saiu da reunião.

Sobre a contrapartida financeira sugerida pelo prefeito ao governador, Greca falou que as equipes econômicas vão estudar as alternativas para apresentar um bom projeto para a população. “Nós temos a ideia de implantar uma única tarifa metropolitana. Isso é uma coisa a ser construída, nós temos condições de receber recurso ou tentar outra solução, mas é algo que vamos construir juntos”.

Ao ser questionado sobre o valor do reajuste na passagem, o prefeito respondeu que ainda não há nada resolvido. “Ainda não fizemos o cálculo”, se limitou a dizer.

Entrevista

Em entrevista à Banda B, em dezembro do ano passado, Greca disse que a tarifa do transporte coletivo de Curitiba pode subir até R$ 0,29 em fevereiro de 2019. Tudo vai depender da ajuda de Ratinho.

“Precisamos do Ratinho, ou a passagem vai subir R$ 0,29”, disse Greca. Ele também condicionou o valor do aumento à aprovação do projeto que permite a extinção dos cobradores do transporte coletivo da capital e ao valor do reajuste que será concedido aos funcionários do sistema.