O atual prefeito e candidato à reeleição pelo DEM, Rafael Greca, cantou o hino de Curitiba, não lembrou de nenhum erro que tenha cometido até aqui, garantiu que não tem medo de debates e usou seu tempo na entrevista à Banda B nesta sexta-feira (23), para detalhar como pretende fazer a retomada econômica pós-pandemia do coronavírus.

Em entrevista a Paulo Sérgio Débski, Greca começou falando que a prefeitura já tem R$ 1 bilhão em caixa para gerar 85 mil empregos no próximo ano. “Estamos preparando a cidade um grande plano de obras com eixos do bairro Novo ao Caximba ao anel do Interbairros II. Iremos gerar 85 mil empregos diretos e o dinheiro a está na conta: um bilhão de reais. Vamos apostar em empregos tecnológicos e para jovens. Apoiar MEIS (Microempreendedores individuais), inclusive já coloquei 10 milhões de reais num fundo de aval que poderá garantir até 100 milhões de reais em empréstimos”.

Paulo Débski entrevista Rafael Greca na Banda B

Multimobilidade

Greca também garantiu que, caso reeleito, irá investir em multimobilidade com terminais de ônibus solares, sem gasto de energia, onde as pessoas poderão tomar banho depois de chegar de bicicleta, por exemplo. “O nosso entendimento é que o processo de multimobilidade deve avançar na cidade com pessoas fazendo trajetos de bicicleta, ônibus, carro compartilhado, Uber (…) como já acontece em cidades da Europa e EUA”.

O atual prefeito ainda ressaltou que pretende ampliar as ciclofaixas, que hoje ocupam 208 quilômetros na cidade. “Não tem nenhum Corifeu da desgraça aqui”, disse.

O candidato ainda afirmou que pretende simplificar a retirada de alvarás. “Bombeiro e meio ambiente num único sistema de alvarás para dinamizar a abertura de empreendimentos e gerar empregos”.

Crise hídrica

Sobre a crise hídrica, Greca afirmou que, com ele, Curitiba passará a contar com 30 poços artesianos espalhados por suas 10 administrações regionais. Três já estão sendo perfurados e ficam no Boqueirão, Tatuquara e Bairro Novo.

A abertura de poços artesianos faz parte da estratégia idealizada por Greca para que Curitiba enfrente a crise hídrica, que prevê, entre outras medidas, a interligação das antigas cavas de exploração de areia que margeiam o Rio Iguaçu.

“Na interligação das cavas no Boqueirão e no Zoo teremos o manancial do futuro com 142 milhões de litros d’água. Nossa ideia é unir todas as cavas formando um grande reservatório que vai complementar as represas da Sanepar e retardar o uso da água da represa do Capivari-Cachoeira para a Grande Curitiba”. E completou: “Não somos deserto, somos úmidos com o Rio Iguaçu e as cataratas. Minha cabeça úmida vai gerar água para Curitiba”.

Volta às aulas

Greca reafirmou que não quer ser “matador de inocentes” e que as aulas voltarão quando houver segurança técnica e médica. “Estou louco para colocar curitibinhas na garupa e dizer que estamos voltando”, mas apenas com segurança, ressaltou lembrando que as aulas continuam de forma online.

“No próximo ano haverá um currículo duplo. Quem está no segundo ano terá aulas também do primeiro que fez em 2020 para recapitular este anos singular”.

“Como disse o Papa João Paulo II, não tenham medo, não tenham medo”.

Greca também disse que seu plano prevê a construção de 25 novas escolas em período integral e um centro especial para alunos com Síndrome de Down.

Transparência

Sobre as críticas dos adversários de falta de transparência na gestão, o atual prefeito disse: “Não temos nada a esconder, inclusive vamos fazer um hipervisor urbano, que é uma grande tela na sala de governança do prefeito, com iniciativas públicas e privada, tudo visível a qualquer momento. Não tememos a luz, quem gosta de sombra é o mal”.

Integração com RMC

O candidato do DEM, que tem o apoio do governador Ratinho Junior, afirmou que sua ideia é criar o mercado comum metropolitano, integrando os armazéns da família, fazendo de nove grandes cidades no entorno como uma cidade só. Citou que, com sua ideia de comprar mimosa e melancia de produtores da Região Metropolitana, gerou nove mil empregos. “Minha única diferença com os produtores da região metropolitana é que aqui não entra poncã, aqui em Curitiba só mimosa”, brincou.

Debate

Ao ser questionado se ele reconhece algum erro na gestão até aqui, Greca afirmou: “Não lembro deles” e relembrou as obras que fez até aqui para a cidade.

Sobre as críticas de participar de debates, afirmou que “teve o desprazer” de ver o debate feito por alguns candidatos na Praça da Espanha, perto da casa dele e afirma que ficou feliz de não ter ido. “Quem me conhece sabe que não tenho medo. Quem deixa R$ 600 milhões em caixa em plena pandemia e sem nenhum escândalo não tem medo”.

Sobre futuros debates afirmou: “Tudo será avaliado pelo meu comitê de campanha. Não tenho medo de debate”, reforçou.

O atual prefeito encerrou a entrevista cantando o Hino de Curitiba e pedindo o voto no 25.

Saiba aqui a ordem das próximas entrevistas da série com candidatos na banda B

Vídeo

Assista à entrevista na íntegra (em alguns momentos houve falha na conexão no local de onde Greca estava. A entrevista foi feita via Instagram):