Detalhes da noite em que o pastor Anderson do Carmo foi assassinado ainda são uma incógnita para os investigadores do caso. Com o avanço das apurações, delegados trabalham com a hipótese de que o religioso e a deputada federal Flordelis (PSD-RJ), que também é pastora, teriam ido a uma casa de swing, em Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

 

A deputada federal Flordelis, fala sobre a morte de seu marido, o pastor Anderson do Carmo.

 

Em coletiva de imprensa na segunda-feira (24/8), o delegado da Delegacia de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG) Allan Duarte alegou que a parlamentar e o marido estiveram em Botafogo na noite do crime, ao contrário do que consta no depoimento de Flordelis.

O Ministério Público estadual acredita que o casal tenha ido a uma casa de swing, tendo em vista a trajetória do veículo no dia. Um gerente da boate interrogado pelos investigadores negou conhecer a dupla. Porém, o depoimento foi descartado, já que o funcionário é treinado para não entregar os frequentadores.

Para ler a matéria completa no Portal Metrópoles, parceiro da Banda B, clique aqui.