Em sites bolsonaristas, bolhas das redes sociais e nos grupos de WhatsApp dedicados a apoiar Jair Bolsonaro, o presidente não sofreu críticas por ter dito a um jornalista que tinha vontade de lhe “encher a boca de porrada”. Para a militância mais fiel, o chefe do Executivo foi, na verdade, uma vítima na história, que seria uma armação esquerdista para desestabilizá-lo.

Em redes monitoradas pelo Metrópoles, esse versão foi sustentada por um relato distorcido dos acontecimentos da tarde do último domingo (23/8) na Catedral de Brasília. A principal notícia falsa que circulou diz respeito a uma suposta provocação que teria sido feita pelo repórter e motivado a reação desproporcional de Bolsonaro.

 

O presidente Jair Bolsonaro fala à imprensa no Palácio da Alvorada

 

Segundo a fake news, o jornalista teria dito “vamos visitar sua filha na prisão”, mas os registros da cena são claros em mostrar que se trata de alguém convidando o presidente a visitar a “feirinha da Catedral”, que vende artesanato. Bolsonaro tem apenas uma filha, Laura, que tem 9 anos.

A versão não chegou a ser compartilhada pelas estrelas da militância bolsonarista nas redes. Entre perfis mais influentes, apenas o economista e comentarista político Rodrigo Constantino divulgou a história. Mas bastou a chancela do colunista de veículos como a rádio Jovem Pan para dar força ao boato em outros ambientes.

Para ler a matéria completa no Portal Metrópoles, parceiro da Banda B, clique aqui.