Em polos ideológicos antagônicos, as duas vereadoras mais votadas de Curitiba destacaram nesta segunda-feira (16) a importância da participação feminina na política. Com visões diferentes, Indiara Barbosa (Novo) e Carol Dartora (PT) inevitavelmente vão discordar em inúmeras pautas que serão discutidas ao longo dos próximos quatro anos na Câmara Municipal, mas em algo elas se assemelham: o entendimento de que a mulher precisa se fazer cada vez mais presente na política.

Carol e Indiara

Para a vereadora eleita do Novo, o exemplo é fundamental para fazer com que cada vez mais mulheres se façam presentes na política. “Eu acredito muito que uma das principais ações para aumentar a participação das mulheres é dar exemplo, mostrar que a gente consegue chegar lá. Eu sou mulher, sou mãe. No meu partido há mais uma vereadora eleita e mãe. Então acredito que discutir isso é muito mais efetivo que leis ou imposições relacionadas a esse tema e com isso inspirar mais mulheres a ocuparem cargos de liderança”, disse.

Indiara foi eleita com 12.147 votos e ficou em primeiro lugar entre todos os vereadores.

Para ela, a expressiva votação é importante para mostrar força ao colocar projetos em discussão. “Assim a gente pode discutir temas importantes para as mulheres. Eu e a Carol Dartora temos ideias diferentes, mas no fim das contas precisamos trabalhar juntas pela cidade, é importante ter duas vereadoras tão bem colocadas na votação”, comentou.

Primeira mulher negra eleita

Entre todos os 38 eleitos para a Câmara Municipal de Curitiba, Carol Dartora ficou na terceira colocação. Ela será a primeira vereadora negra da história da capital.

À Banda B, ela disse que um de seus objetivos é trazer para a cidade a discussão em torno da exclusão racial e também de gênero. “Existe um racismo e um machismo estrutural na sociedade, então mulheres e mulheres negras sofrem com uma sub-representação muito grande, não só no Brasil, como no mundo. As desigualdades são estruturadas por raça e gênero e sabemos que no Brasil isso nunca foi superado. Acredito, porém, que nesse momento uma compreensão de que não podemos continuar dessa forma”, explicou a vereadora eleita pelo PT.

Para Carol, é importante Curitiba ser pensada pelo eixo de gênero. “Curitiba está entre as cidades mais violentas para uma mulher viver e isso porque a gente não conseguiu colocar mulheres pensando como superar isso. São elas que sabem suas reais necessidades e precisam estar em todos os espaços”, concluiu.

Além de Indiara e Carol, outras seis vereadoras foram eleitas: Professora Josete (PT), Flavia Francischini (PSL), Noemia Rocha (MDB), Sargento Tania Guerreiro (PSL), Maria Letícia (PV) e Amália Tortato (Novo).