Da Redação

Correligionário do vice-presidente Michel Temer, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) disse, nesta terça-feira (19), não der dúvidas de que o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff deve ser aprovado também no Senado. Em áudio divulgado em seu site oficial, o senador se declarou contra o processo por ausência de crime de responsabilidade, apesar de não concordar com a política econômica da presidente.

Foto: Agência SenadoFoto: Agência Senado

“Se a Dilma tem um voto de desconfiança do Brasil, cabe a ela enviar um projeto de emenda constitucional antecipando as eleições, assim o povo poderá escolher qual programa quer”, disse.

Para Requião, o projeto de governo elaborado por Temer tende a trazer ainda mais prejuízo aos brasileiros. “O vice-presidente assume com qual compromisso? Os donos da fundação Ulisses Guimarães, do PMDB, encomendaram uma proposta de governo a economistas ligados aos bancos e ao mercado financeiro. É horrível a proposta. Ela acaba com a aposentadoria, com o salário mínimo, acaba com empresas públicas”, continuou.

Na última semana, o PT chegou a cogitar a hipótese de antecipar as eleições, mas a bancada do partido na Câmara rejeita a hipótese no momento. Os parlamentares acreditam que defender novas eleições agora poderia passar a ideia de que o partido está reconhecendo antecipadamente a derrota no Senado e legitimando o “golpe”.

A ideia de novas eleições é defendida também por partidos como o Rede Sustentabilidade.