A defesa do senador Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado por policiais federais com dinheiro entre as nádegas, afirmou que o parlamentar tem sido “linchado” por causa do “ato de terrorismo policial”.

 

 

Em nota publicada nesse domingo (18) [leia abaixo], os advogados Ticiano Figueiredo e Pedro Ivo Velloso defenderam que o dinheiro encontrado na casa do senador é lícito e que não há qualquer evidência de desvio.

Caso

Ex-vice-líder do governo Bolsonaro, Chico Rodrigues teria desviado pelo menos R$ 965,8 mil de recursos públicos destinados ao combate à Covid-19, segundo análise da Polícia Federal (PF).

Leia a íntegra da nota:

“A defesa do senador Chico Rodrigues manifesta sua perplexidade com o linchamento sofrido por ele, sem que haja qualquer prova contra sua conduta.

O dinheiro tem origem particular comprovada e se destinava ao pagamento dos funcionários de empresa da família do senador.

E mais: os recursos destinados por emenda parlamentar à Covid-19 em seu estado seguem nas contas do governo, de forma que nem ele, nem ninguém, poderia deter esses recursos.

Em 30 anos de vida pública, o senador nunca sofreu uma condenação e agora está sendo linchado por ter guardado seu próprio dinheiro. Foi uma reação impensada, de fato, mas tomada diante de um ato de terrorismo policial, sem que haja qualquer evidência de desvio em sua
conduta.

Ter dinheiro lícito em casa não é crime. O único ato ilícito deste caso é o vazamento dos registros da diligência policial arbitrária que ele sofreu”.