O deputado estadual Tito Barichello (União Brasil) protocolou requerimento por quebra de decoro parlamentar contra o deputado Renato Freitas (PT), ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). O parlamentar acusa o petista de liderar a invasão na segunda-feira (03) à Casa Legislativa de manifestantes contrários ao projeto de lei que terceiriza a gestão de 200 escolas.

O requerimento pede a perda do mandato de Freitas e defende que o deputado teve práticas ” incompatíveis com o exercício do mandato parlamentar, especialmente pela violação do Regimento Interno da Assembleia Legislativa do Paraná”.

*Atualização às 19h25.

1717701449675857
Foto: Reprodução

“No dia 03 de junho fomos impedidos pelos manifestantes e grevistas, coordenados pelo deputado petista que esteve à frente da invasão nas dependências da Assembleia Legislativa, de realizar nossas atividades em sessão plenária que iria ocorrer em horário regimental, provocando a perturbação da ordem e infringindo as regras de boa conduta nas dependências desta Casa de Leis”, justificou o deputado e também vice-presidente da Comissão de Segurança da Alep.

Além disso, Barichello destaca que o petista teria tentado, com emprego de violência ou grave ameaça, abolir o Estado Democrático de Direito, impedindo ou restringindo o exercício dos poderes constitucionais.

Ele defende que as medidas sejam tomadas de imediato já que haveria provas cabais contra Freitas: “as imagens divulgadas pela imprensa e imagens de diversas redes sociais demonstram que o deputado Renato Freitas (PT), esteve liderando a invasão dos manifestantes que arrombaram o portão de entrada da Assembleia Legislativa, quebraram portas de vidro e proporcionaram atos de vandalismo e atos terroristas com o emprego de violência, houve também por parte desses terroristas/manifestantes tentativas de agressões aos policiais militares e vigilantes que atuam na segurança na ALEP”.

A reportagem da Banda B entrou em contato com a assessoria de imprensa do deputado Renato Freitas. Em nota, foi dito o seguinte:

Nota

Em momento algum houve quebra de decoro por parte do deputado Renato Freitas. Em relação ao requerimento citado pelo veículo, o mandato não foi oficiado sobre nenhum protocolo desta natureza, desconhecendo qualquer eventual acusação.

Mandato Renato Freitas.

Fim da greve

Professores e funcionários das escolas estaduais do Paraná decidiram, em uma assembleia estadual extraordinária realizada pela APP-Sindicato na noite desta quarta-feira (5), encerrar a greve. A decisão veio, segundo a entidade, após avaliações positivas sobre o “apoio recebido da sociedade e a visibilidade alcançada pelas pautas do movimento”, que se mostrou contrário ao projeto Parceiro da Escola, projeto de lei que terceiriza a gestão administrativa de 204 colégios estaduais.

Apesar de não conseguir barrar a tramitação do projeto que visa à privatização das escolas, a greve foi vista como um sucesso pela APP-Sindicato porque provocou, conforme acredita o grupo, o debate sobre o tema em âmbito nacional e internacional.

O governador Ratinho Junior (PSD) sancionou a lei horas após a aprovação do projeto na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) nesta terça-feira (4). Apesar da sanção do governador, o Parceiro da Escola será instalado mediante consulta a comunidade escolar. A votação nas escolas escolhidas será preferencialmente de forma presencial.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Deputado Tito Barichello pede cassação de Renato Freitas por conta da invasão de manifestantes na Assembleia

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.