O deputado estadual Cobra Repórter (PSD) é autor de um projeto de lei que concede o título de Cidadão Honorário do Estado do Paraná para Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan. O projeto tramita na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) e quatro parlamentares já pediram vistas por serem contrários à concessão do título ao empresário. O assunto está na pauta da reunião desta quarta-feira (5).

(Foto: Reprodução/Facebook)

O autor do projeto defende que Hang tem gerado muitos empregos e feito muitos investimentos no Paraná, além de ajudar diversas entidades e outros projetos no estado. “O Luciano Hang tem várias lojas e empresas situadas em diversas cidades do Paraná. Ele é uma pessoa que tem olhado muito para o nosso estado com investimentos e gerando muitos empregos. O Luciano ainda tem ajudado muitas entidades e projetos aqui na região”, disse o deputado Cobra Repórter.

As reações contrárias ao projeto seriam motivadas pelo posicionamento político do empresário, segundo Cobra. “Deu um princípio de discussão, pois deputados ligados a partidos de esquerda não aceitam por conta do trabalho que o Luciano tem feito por partidos de direita no país”. Mesmo com a polêmica, o deputado acredita que o projeto será aprovado.

Não é o que pensa o deputado estadual Tadeu Veneri (PT), que pediu vista do projeto e votou em separado. Veneri defende que o dono das lojas Havan não preenche os pré-requisitos para ser agraciado com o título de cidadão honorário .

“É direito do deputado indicar quem ele quiser para ser cidadão honorário , porém alguns dos pré-requisitos para que isso aconteça é ter obras escritas no estado sobre o Paraná, artigos em jornais, revistas e periódicos, trabalho de benevolências social, contribuições para a ciência, tecnologia e no caso do Luciano Hang, pelo o que sabemos, não há nada disso”, afirmou o petista.

Entre os pré-requisitos exigidos para a concessão do título, Veneri acredita que o empresário cumpre apenas com um, que seria ter uma empresa gerando recursos para o estado.

Outro aspecto que impediria Hang de receber o título seria as suas manifestações a respeito do processo democrático e das casas legislativas. “Uma das coisas que se prevê para ter o título é que você seja um defensor permanente das instituições públicas e defenda a democracia. Nós sabemos que o senhor Luciano Hang não é essa pessoa. Ele já deu declarações bem conflituosas sobre como ele vê o processo democrático e as casas legislativas”, disse o parlamentar.

Além de Veneri, os deputados estaduais Marcio Pacheco, Maria Victória e Tião Medeiros também pediram vistas do projeto.