O presidente em exercício, General Mourão, acompanhado pelo governador do Paraná, Ratinho Júnior, participou de solenidade do 140º aniversário do Regimento de Polícia Montada, em Curitiba, no final da tarde desta sexta-feira (28). Em resposta à chanceler alemã, Angela Merkel, que em declaração afirmou que é “dramática” a situação do Brasil em questões ambientais e de direitos humanos, o vice de Bolsonaro disse que é preciso conhecer “realmente a realidade do Brasil, porque muita coisa é de ouvir”.

“Algo que é muito caro para nós brasileiros, e podemos dar exemplo sobre o assunto, é o meio ambiente. Ontem estava chegando em Porto Alegre de avião, onde há uma área de plantações muito próximo, você vê toda a vegetação ciliar preservada. Isso você não vê na Europa”, afirmou Mourão.

Em breve análise sobre os primeiros seis meses de governo, o general reconheceu que houve erros. “Houve erros óbvio, ninguém acerta sempre. Mas o copo sempre esteve meio cheio e não meio vazio”, avaliou o presidente em exercício que também elogiou o acordo comercial do Mercosul com a União Europeia anunciado hoje.

“O acordo foi excelente e é algo que já se buscava há 20 anos. Então acho que foi uma grande vitória do governo Bolsonaro”, disse ele.

Sobre o caso do sargento preso na Espanha suspeito de transportar 39 quilos de cocaína em avião oficial, Mourão diz que não há muito o que fazer, além de aguardar as investigações. “O culpado já existe. A Espanha quer buscar qual a conexão que havia lá e nós queremos saber que conexão havia aqui. Então temos que aguardar o desenvolvimento disso”, declarou.

O vice-presidente também comentou nova diretriz do Itamaraty sobre o sentido da expressão “gênero” que deve ser entendido como “sexo biológico”. “Para mim, gênero é masculino e feminino. O resto é questão de costume que a sociedade discute e chegamos em um entendimento”, concluiu.