Os números obtidos pela Lava Jato no Paraná são superlativos: 125 denúncias apresentadas contra 530 pessoas, 262 sentenças que condenaram mais de 150 réus, R$ 4,97 bilhões recuperados aos cofres públicos. Ao jornal O Estado de S. Paulo, Dallagnol disse que respeita a PGR e reiterou o compromisso de atuar em cooperação com as diferentes instâncias do MP.

(Foto: Frazão/Agência Brasil)

“Ao mesmo tempo, a força-tarefa entende equivocadas algumas ações e críticas promovidas recentemente pela Procuradoria-Geral da República em relação ao trabalho desempenhado pelas forças-tarefa, o que acaba por colocar em risco a própria independência funcional que é essencial para que o serviço público prestado pela Instituição possa ocorrer livre de interferências externas”, disse Dallagnol.

Procurada pela reportagem, a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba afirmou por nota que o atual modelo “é eficiente e trouxe resultados inéditos no combate à corrupção”.

Até a publicação desta reportagem, a PGR não havia se manifestado.

O Planalto disse que não iria comentar as críticas a Bolsonaro. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.