Os casos do novo coronavírus no Paraná podem chegar a 30 mil, no ápice da doença. A expectativa foi confirmada pelo Governo do Estado durante um pronunciamento oficial, na manhã desta quinta-feira (26). Diante disso, o governador Carlos Massa Ratinho Junior confirmou que o Paraná possui, de maneira per capita, mais leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) que a Itália – o país mais afetado pelo vírus do covid-19.

“Temos números, de maneira per capita, de leitos de UTI superior que a Itália, que infelizmente vive um momento caótico. Isso é importante para tranquilizar a nossa população. Estamos organizados em termos de estrutura de saúde no combate ao coronavírus”, disse ele.

 

Governador Carlos Massa Ratinho Jr na coletiva desta quinta-feira (26). Foto: Reprodução

 

O pronunciamento de hoje aconteceu justamente para apresentar a estrutura hospitalar que o Estado dispõe no enfrentamento ao novo coronavírus. De acordo com o secretário de Estado e Saúde, Beto Preto, houve um aumento de 20% nos leitos de UTI.

“São 317 novos leitos adultos de UTI, em dez dias, sendo disponibilizadas. Cada leito leva a necessidade de enfermaria, também temos de 731 leitos de enfermaria. Na segunda etapa, será feita uma avaliação dia a dia, nossa curva é baixa, trabalhamos para não ter um pico. Em 45 dias, 188 leitos e 450 leitos de enfermaria. E na terceira etapa, mais 180 leitos e 430 de enfermaria. Nisso tudo, temos um total de até 650 leitos de UTI. Temos hoje 1,3 mil leitos adultos no Estado, então poderemos ter dois mil leitos à disposição ao longo desse enfrentamento”, detalha o secretário.

Além disso, segundo ele, há ainda a possibilidade de reforçar as ambulâncias no Estado para transporte de pacientes confirmados da doença.

Diferente de São Paulo e do Rio de Janeiro, estádios de futebol seguem em segundo plano na estratégia de combate à doença. O estado do Paraná enxerga – nesse primeiro momento – que a rede pública e privada de hospitais deve ser suficiente para receber os paranaenses que precisarem de internamento por causa do vírus covid-19.

“Todas as iniciativas são válidas, mas a rede de hospitais contratada pelo Paraná tem dado todo o suporte, vem dando resposta positiva. Há planos B, C, mas nesse momento estamos contando com os  hospitais”, justificou.

Casos

Segundo ele, a expectativa é de 10 mil casos, podendo chegar a um pico de 30 mil. “Mantemos a previsão de dez mil casos no Paraná, mas há hipótese de explosão de casos, com 30 mil, com necessidade de internamento de 15% a 20% e dentro disso um terço de necessidade de leitos de UTI”, detalhou Beto Preto.

Sobre o isolamento – criticado pelo presidente Jair Bolsonaro – o secretário de saúde é enfático. “Não se trata de 15 dias, o isolamento é importante para que não aconteça aqui no Paraná o pico de casos. Vamos continuar mantendo a proposta de isolamento domiciliar, distanciamento social e etiqueta respiratória”, disse.