Por André Borges
Carlos Bolsonaro – Foto: Câmara do Rio

O vereador no Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (Republicanos), reconhecido pelo modo agressivo com que utiliza as redes sociais, voltou à carga nesta segunda-feira, 21, para insultar as organizações ambientais e defender o governo do pai, Jair Bolsonaro.

Depois de passar um período com publicações mais amenas, Carlos recorreu ao velho estilo e disparou ofensas. Por meio de uma postagem no Twitter, escreveu que “todas as ONGs vagabundas” estariam, segundo ele, “se organizando nas redes sociais para orquestrar panelaço contra o Presidente amanhã em seu discurso para a ONU”. O presidente abre, nesta terça-feira, a 75ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

Pressionado por organizações internacionais pelas queimadas recordes na Amazônia e no Pantanal, Bolsonaro usará o discurso de abertura para rebater críticas de que o governo brasileiro segue inerte na questão ambiental. “Este tipo de MOVIMENTO ORQUESTRADO jamais será investigado e nem será motivo de inquérito, óbvio! O LÍDER ELEITO DA NAÇÃO é alvo!”, escreveu o filho do presidente.

A conduta de Bolsonaro na área ambiental está longe de ser alvo de críticas apenas de ONGs do setor. Empresários, membros do Legislativo, do Judiciário, investidores internacionais e governos de todo o mundo, para além da opinião pública, têm criticado duramente os índices alarmantes e recordes de incêndios e desmatamento que destroem a Amazônia e o Pantanal.

O vereador também disparou impropérios contra as investigações da Polícia Federal, que apura financiamento e realização de atos antidemocráticos. “Atos antidemocráticos são meus ovos na goela de quem inventou isso! Milhares vão às ruas espontaneamente e devido a meia dúzia esculhambam toda a democracia. Tentam qualificar a vontade popular como algo temerário”, escreveu no Twitter.