Os deputados que analisam as mudanças propostas ao texto-base aprovado na quarta-feira (10) decidiram manter as regras de cálculo dos benefícios previstas no projeto. O texto foi mantido por um placar de 346 a 131.

Proposta do PT queria que, mesmo após a reforma da Previdência, o critério atual de cálculo dos benefícios não fosse alterado. Hoje, é considerada a média de 80% dos maiores salários. O projeto do governo altera o cálculo para 100% de todos os salários, o que foi ratificado na votação desta sexta.

Foto: Agência Câmara

O partido queria também suprimir, do texto-base aprovado, a fórmula que prevê 60% sobre a média salarial para quem tiver o tempo mínimo de contribuição. Para obter o benefício integral, a mulher precisaria contribuir por 35 anos, e o homem, por 40. As duas mudanças propostas pelo PT teriam um impacto de R$ 186,9 bilhões em dez anos.

Os dois trechos da reforma foram mantidos pela Câmara.