O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) indicou nesta segunda-feira, 29, que deixará à escolha do juiz Sérgio Moro a possibilidade de escolher entre dois cargos, a de ministro da Justiça e o de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

“Moro se tornou um símbolo no Brasil. Poderia ser ministro da Justiça ou, abrindo uma vaga no STF, (escolher) a que achar que melhor poderia contribuir para o Brasil”, afirmou o presidente eleito em entrevista concedida ao vivo no Jornal Nacional.

E o juiz não descarta integrar o governo Jair Bolsonaro. Segundo reportagem de O Globo, o coordenador da Lava Jato admitiu que cogitaria um convite para ser ministro da Justiça e aceitaria de bom grado a indicação para o Supremo Tribunal Federal. A possibilidade de ir para o governo seria mais rápida: a próxima vaga no STF só será aberta em 2020, com a aposentadoria de Celso de Mello. Moro parabenizou Bolsonaro pela eleição ainda no domingo.

Presidente Jair Bolsonaro – Reprodução TV Globo

Bolsonaro afirmou ainda que, passadas as eleições, é chegada a hora de o Brasil “conviver com a verdade” e reiterou que pretende governar para todos os brasileiros. “A Constituição tem que ser a nossa bíblia”, pregou.

Confrontado por suas declarações homofóbicas, o parlamentar disse que toda agressão deve ser punida e disse, em casos contra gays, a pena tem que ser agravada.

O presidente eleito também defendeu a liberdade de imprensa, mas voltou a criticar o jornal Folha de S.Paulo, acusando-o de espalhar fake news contra sua candidatura. Ele corrigiu declaração anterior na qual disse que a publicação merecia “acabar”. “Não quero que acabe, mas se continuar a se comportar desse jeito não terá apoio do governo federal.”