(Marcelo Camargo/Agência Brasil)

 

O presidente Jair Bolsonaro publicou no Twitter um vídeo com cenas obscenas que teriam ocorrido durante a passagem de um bloco de carnaval, que ele mesmo considerou não se sentir “confortável em mostrar.”

Na postagem, na noite desta terça-feira, 5, Bolsonaro diz que “temos que expor a verdade para a população ter conhecimento e sempre tomar suas prioridades”. E criticou: “É isto que tem virado muitos blocos de rua no carnaval brasileiro”. O presidente também pediu que seus seguidores comentassem e tirassem suas próprias conclusões sobre o vídeo.

No vídeo, que já tem dois milhões de visualizações, um homem dança em cima de um ponto de táxi e coloca o dedo no ânus, mostrando ao público que assiste à cena. Em seguida, um outro
rapaz urina na cabeça dele.

A publicação foi alvo de críticas de internautas, que disseram ter denunciado o post ao Twitter por desrespeitar as regras da rede social por conteúdo impróprio.

“E não compartilhe isso!!!! É crime!!! Denuncie , improprio para qq pessoa ver. Principalmente crianças”, escreveu a apresentadora Astrid Fontenelle.

“Denunciando o tweet por conteúdo impróprio. Denuncie você também”, escreveu um internauta.

“Festa popular ? Não me inclua nessa festa. Eu não faço parte dessa degradação”, armou outro.

“Cabia a polícia ter agido na hora. Não adianta agora ficar repostando o conteúdo sem filtro algum, e ainda usando para generalizar o carnaval e
uma comunidade. O presidente só quer usar a cena de palanque e marketing, como tudo que faz. Não é o que se espera de um presidente”,
disse outro internauta.

Mais cedo, Bolsonaro também publicou um vídeo em que um cantor rebate críticas feitas por Daniela Mercury e Caetano Veloso na música Proibido o Carnaval. Também pelo Twitter, a cantora rebateu. “Se assim desejar, irei com minha esposa, que é também minha empresária, até Brasília para conversar com o senhor sobre o assunto.”