O presidente Jair Bolsonaro disse que seu filho mais velho, o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), não pode ser culpado por homenagens que fez a acusados de comandar milícias no Rio.

Presidente da República, Jair Bolsonaro, na Suiça – Foto: Ag. Brasil

Em entrevista ao jornal americano The Washington Post, o presidente disse que Flávio, então deputado estadual, concedeu “mais de 300 diferentes condecorações e títulos de honra” a profissionais da área de segurança pública, e que não poderia ser responsabilizado por duas em que poderia haver irregularidades. “A pessoa que concedeu a condecoração não pode ser culpada.”

As homenagens, em 2003 e 2004, foram feitas aos policiais militares Adriano Magalhães da Nóbrega e Ronald Paulo Alves Pereira. Nóbrega ganhou a Medalha Tiradentes, considerada a maior honraria do Estado, e Pereira recebeu menção honrosa. Os dois foram alvo de mandados de prisão na Operação Intocáveis, da Polícia Civil e do Ministério Público do Rio, acusados de participar de uma das principais milícias do Estado, em Rio das Pedras, comunidade pobre na zona oeste.