Após dias em busca de um substituto para Sergio Moro no Ministério da Justiça, o presidente Jair Bolsonaro convidou nesta segunda (27) o ministro da AGU (Advocacia Geral da União), André Mendonça, para assumir o cargo.

Ambos tiveram uma conversa mais cedo. O ministro não deu uma resposta final, mas, segundo aliados, deverá aceitar o convite.

Se Mendonça for confirmado, a tendência é que Bolsonaro faça uma cisão no Ministério da Justiça e crie a pasta da Segurança Pública.

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Neste caso, a expectativa de assessores do presidente é que ele nomeie o secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Oliveira, para a função.

Pesou contra a ida de Jorge Oliveira para o Ministério da Justiça o fato de ele ocupar hoje um cargo estratégico no Palácio do Planalto como ministro da Secretaria Geral e também subchefe de assuntos jurídicos, responsável por editar os atos normativos da Presidência.

Bolsonaro estava com dificuldades de encontrar um nome confiável para substituir Oliveira, que é amigo de longa data da família do presidente.

Além disso, o presidente também se livraria da acusação de que nomeou uma pessoa do seu círculo íntimo para um ministério.
O advogado-geral da União ainda tem mais bagagem jurídica, por isso, representaria uma nomeação mais técnica para a Justiça.