Isolado no Palácio da Alvorada por 20 dias depois de confirmar a contaminação por Covid-19, em julho, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) retornou à rotina de trabalho e aproveitou o período para encontrar com o eleitorado, intensificando o número de viagens nacionais.

Bolsonaro em viagem ao Nordeste (Foto: Alan Santos – PR)

 

Levantamento feito pelo (M)Dados, núcleo de jornalismo de dados do Metrópoles, com base em informações obtidas por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI), mostra que logo depois de curado, só em agosto, o chefe do Executivo e a comitiva que o acompanha fizeram 11 viagens, uma a menos se somadas as ocorridas entre março e julho.

Os gastos, que incluem as despesas de toda a equipe, chegaram a R$ 1.106.114,58. Do início da pandemia até então, o montante já havia alcançado a casa dos R$ 500 mil, menos da metade do desembolsado em agosto. Informações sobre os deslocamentos de setembro ainda não foram divulgadas.

Para ler a matéria completa no Portal Metrópoles, parceiro da Banda B, clique aqui.