Ex-governadora Cida Borghetti – Foto Jonas Oliveira

Assessores da ex-governadora Cida Borghetti correram em auxílio ao secretário da Fazenda, Renê Garcia, nomeado pelo sucessor Ratinho Jr., que em entrevista coletiva nesta quinta-feira (10) disse estar “pilotando no escuro uma fortaleza voadora nos céus de Berlim” em alusão à impossibilidade de esclarecer com precisão a situação financeira do estado recebida pelo novo governo.

Renê afirmou que não pode ter certeza se, de fato, o caixa do estado estava com um saldo próximo de R$ 5 bilhões em 31 de dezembro, conforme anunciado por Cida Borghetti no discurso de transmissão do cargo no dia 1.º de janeiro. Garcia também não soube dizer se, de fato, cerca de R$ 400 milhões estariam livres para aplicação em projetos definidos pela atual administração.

O secretário culpou o Siafi – um sistema de processamento de informações contábeis implantado na secretaria da Fazenda em 2018 – que, segundo ele, controla apenas 60% dos lançamentos da receita e despesa. Diante disso, instituiu uma força-tarefa para desvendar os mistérios que encontrou na pasta.

Diante das dúvidas, os assessores da ex-governadora encaminharam ao secretário Renê Garcia extratos do Banco do Brasil informando valores das aplicações em papeis de renda fixa e de curto prazo feitas pelo estado na instituição.

A informação do do jornalista Celso Nascimento, no Contraponto. Veja aqui os extratos

Relacionada: