Dois dias após defenderem o projeto que reajusta em mais de 60% o salário dos vereadores de Araucária, na região metropolitana de Curitiba, duas parlamentares apresentaram projeto para que o subsídio passe a ser de um salário mínimo. O anúncio foi feito pelas duas vereadoras, Amanda Nassar (PMN) e Tatiana Assuiti Nogueira (PSDB), nas redes sociais.

Foto: Reprodução Facebook

O texto altera a lei recém-aprovada, que aumentou de R$ 5,9 mil para R$ 9.584,45. De acordo com o substitutivo, “fica fixado para a legislatura de 2021-2024 o subsídio mensal dos vereadores da Câmara Municipal de Araucária, no valor de 1 (Um) Salário Mínimo Nacional Vigente.”

Amanda Nassar é presidente da Câmara de Araucária e defendeu a aprovação na sessão da última terça-feira. Ela lembrou que os vereadores não recebiam reajustes há mais de 12 anos. “A nossa obrigação é estar 24 horas para o município, mas precisamos poder ir e vir. Para você fazer uma fiscalização dentro do hospital, precisamos de carro, gasolina e a Câmara não disponibiliza isso. Precisamos quebrar aquele tabu de que o Poder Legislativo é visto com maus olhos, que é corrupto, sendo que não é assim. Eu desejo que com esse projeto, tenhamos mais e mais pessoas disputando as eleições de 2020”, disse na ocasião.

A Banda B tentou contato com ambas as vereadoras, mas a reportagem foi informada que só poderia ser atendida a partir desta sexta-feira (6).

 Aumento

A Câmara Municipal de Araucária aprovou na terça-feira (3) o projeto de lei que aumenta em mais de 60% o salário dos vereadores a partir de 2021. Com a decisão, o subsídio pago subirá de R$ 5,9 mil para R$ 9.584,45.

Um vereador estava ausente da sessão plenária, enquanto outros nove votaram a favor do aumento e apenas um voto foi contra a aprovação do projeto.