Da CMC

Edson Pereira Rodrigues, o Edson do Parolin (PSDB), tomou posse no cargo de vereador de Curitiba nesta segunda-feira (18), em sessão na Câmara Municipal. O líder comunitário era suplente da coligação “Unidos por Curitiba”, que reuniu sete partidos na eleição de 2012 (DEM, PHS, PMN, PSDB, PRB, PSB e PSD), e assumiu a vaga de Valdemir Soares (PRB), que renunciou no início do mês, após ter sido acusado de fraudar o resultado de uma votação.

O parlamentar, que assume uma cadeira na Câmara pela segunda vez (leia abaixo), deixa o cargo de assessor no escritório regional de Curitiba da Cohapar (Companhia de Habitação do Paraná), no qual articulava as lideranças comunitárias em novos empreendimentos da companhia. Ele adiantou que pretende apresentar projetos de lei na área da habitação, mas que sua principal bandeira é a cidade de Curitiba: “se a cidade está bem, minha comunidade também estará bem”.

Edson do Parolin anunciou que sua postura política será de independência em relação ao prefeito Gustavo Fruet. “Continuarei a lutar pela habitação e pelos direitos das comunidades mais carentes e, se o tema for de interesse da comunidade, serei oposição ao prefeito, ou seja lá a quem for. Eu não tenho rédea. E o dia em que eu tiver rédea, venho aqui e renuncio”, prometeu.

O vereador recém-empossado agradeceu a presença das autoridades, familiares e lideranças comunitárias que prestigiaram sua posse e dirigiu-se, da tribuna, ao ex-vereador Zezinho do Sabará, que era o primeiro suplente de sua coligação, mas perdeu o direito à vaga pois mudou do PSB para o PDT (entenda o caso). “Meu gabinete estará aberto para você e sua comunidade”, afirmou. Zezinho, por sua vez, declarou à reportagem que concorda com a posse de Edson, por ser “seu direito”, garantiu ser “muito amigo” do político e disse que vai “respeitar seu trabalho” em função das lutas de suas comunidades serem as mesmas.

Diversos vereadores saudaram a chegada do novo colega. O líder da maioria, Paulo Salamuni (PV), frisou que Edson é um “autêntico líder comunitário, que vem para ajudar a administrar a cidade”. Em nome da Mesa Diretora, Paulo Rink (PR), segundo-secretário da Câmara, destacou ações de transparência na gestão do Legislativo e os baixos gastos com diárias, especialmente em comparação com outros municípios. “Espero que o Edson venha somar nesse esforço de boa gestão e lhe desejo boa sorte”.

Segunda vez

Edson do Parolin já foi vereador de Curitiba por pouco mais de seis meses em 2012. Foi empossado no lugar de Paulo Frote, que desistiu do cargo para evitar um processo de cassação do mandato depois de ter sido condenado na Justiça (leia mais). Nesse período, Edson apresentou 129 proposições, sendo 5 requerimentos administrativos e 102 à Prefeitura – principalmente obras no Parolin. Foram aprovadas, de iniciativa dele, 19 emendas orçamentárias e duas denominações: uma deu nome a uma escola e outra a um logradouro público. Ele protocolou ainda um título de cidadão honorário, que não chegou a ser votado.

Presenças

Estiveram presentes na cerimônia de posse o deputado estadual Nelson Justus (DEM); o subchefe da Casa Civil, Eduardo Pimentel; o presidente da Fomento Paraná e do diretório municipal do PSDB, Juraci Barbosa Sobrinho; o presidente da Sanepar, Mounir Chaowiche; o coordenador de Transparência e Controle Social da Controladoria Geral do Estado, Gerson Luiz Ferreira Filho; a presidente do PSDB Jovem, Heloisa Vieira; o presidente do Instituto Teotônio Vilela no Paraná, Marcello Richa, filho do governador Beto Richa e da primeira-dama Fernanda Richa, a quem Edson do Parolin agradeceu o apoio; e os ex-vereadores Zezinho do Sabará e Borges dos Reis; além da esposa Indianara Viana Rodrigues, outros familiares e amigos.