Pesquisa Quaest aponta que 53% dos brasileiros consideram que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) não está sofrendo uma perseguição na Justiça. Outros 39% entendem que o ex-mandatário está sendo perseguido em investigações em andamento, e 7% não sabem ou não responderam.

A Quaest ouviu 2.000 pessoas de todas as regiões do país de domingo (25) até esta terça (27), e a margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Nos recortes da população, a tese da perseguição tem mais adesão entre evangélicos (53%) e entre os próprios eleitores de Bolsonaro no pleito de 2022 (72%).

bolsonaro_coletiva
Foto: Alan Santos/PR

O levantamento também aponta que 47% da população considera que Bolsonaro participou de um plano de golpe após a derrota na eleição de 2022. Discordam dessa visão 40%, e 13% não souberam ou não responderam.

O ex-presidente é investigado em inquéritos em andamento no STF (Supremo Tribunal Federal), e aliados seus foram presos dentro dessa investigação no último dia 8. Em discurso no último domingo (25) na avenida Paulista, ele reclamou do “abuso por parte de alguns que trazem a insegurança para todos”.

Em outro questionamento, 51% afirmaram que a Justiça Eleitoral acertou ao tornar o ex-mandatário inelegível em julgamentos ocorridos no ano passado. Para 40%, essa decisão foi um erro.

Os pesquisadores também questionaram os entrevistados sobre a manifestação promovida por Bolsonaro na avenida Paulista no último domingo. Disseram que estavam sabendo do ato 53%, ante 47% que falaram que desconheciam. Para 50%, o ex-presidente saiu mais forte do evento.

O levantamento da Quaest é financiado pela corretora de investimentos digital Genial Investimentos, controlada pelo banco Genial.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

53% acham que Bolsonaro não está sendo perseguido, segundo Quaest

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.