Comboio de ônibus chega a Curitiba nesta quarta – Foto: PRF

 

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que até as 11h30 desta quarta-feira (13), pelo menos 52 ônibus passaram pelas estradas paranaenses com manifestantes que participarão de atos a favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Curitiba. A maior parte dos ônibus chegou pela BR-277 vindos do interior do Paraná (25). Outros ônibus vieram de Santa Catarina pela BR-376 e de São Paulo, pela BR-116.

Os primeiros ônibus com manifestantes começaram a chegar na região de Curitiba ainda durante a madrugada. A expectativa da PRF é de que o movimento desses ônibus seja maior no início da tarde.

Um grupo de manifestantes pró-Lula chegou por volta das 11 horas às proximidades do prédio da Justiça Federal em Curitiba, onde o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva prestará depoimento ao juiz Sérgio Moro. Eles estão concentrados na Avenida Anita Garibaldi, próximos à Rua São Sebastião.

Os manifestantes, que na grande maioria vestem camisetas do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), chegaram em 10 ônibus, portando faixas e instrumentos musicais.

Um forte esquema de policiamento foi montado nos arredores do prédio da Justiça Federal. A circulação de veículos está proibida e a de pedestres só é permitida com identificação. O clima por enquanto é de tranquilidade.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou a Curitiba na noite de terça-feira, 12, de carro, para prestar o segundo depoimento ao juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato na primeira instância.

Segundo o ex-ministro Gilberto Carvalho, Lula chegou “bem” e está hospedado na casa de um amigo. Auxiliares do petista divergem sobre o motivo pelo qual o ex-presidente descartou a viagem de avião. Segundo alguns, foi devido ao alto custo de aluguel de um jato particular.

Já o ex-ministro Alexandre Padilha, vice-presidente do PT, disse que foi por uma questão de comodidade. “Foi opção dele para não ter que fixar horário. Outro dia Lula foi ao Rio de carro e gostou. Assim viaja mais discreto”, disse Padilha.

O depoimento, desta vez, faz parte da ação penal na qual Lula é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro supostamente por ter recebido recursos da Odebrecht para a compra de um terreno destinado a abrigar a sede do Instituto Lula em São Paulo e de um apartamento vizinho ao do petista em São Bernardo do Campo, no ABC paulista.

Quando esteve diante de Moro em Curitiba pela primeira vez, em maio passado, o ex-presidente prestou depoimento no caso do triplex do Guarujá, cidade do litoral de São Paulo. Posteriormente, o petista foi condenado naquela ação a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Juiz Moro

 

O juiz Sérgio Moro já se encontra no prédio da Justiça Federal do Paraná, onde às 14h vai colher o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Moro chegou ao local por volta das 10h em uma caminhonete branca escoltada por seguranças da Justiça Federal. O entorno do prédio está bloqueado pela polícia desde às 9h20.

A previsão era de que o bloqueio fosse realizado às 6h30, mas a Secretaria de Segurança Pública do Paraná avaliou que o clima nesta quarta será mais tranquilo do que em 10 de Maio, quando Lula depôs ao juiz Sérgio Moro pela primeira vez. Dessa forma, a secretaria resolveu adiar o início do bloqueio.

A previsão é de que venha ao local hoje cerca de 4 mil pessoas ligadas a movimentos sociais associados ao Partido dos Trabalhadores para apoiar o ex-presidente, em 40 ônibus. Em maio vieram 5 mil pessoas em 50 ônibus. O efetivo policial destacado para fazer a segurança também é menor do que o de maio em 700 homens. Desta vez a segurança será feita por mil homens.

Coletiva do PT em Curitiba nesta quarta – Foto: Banda B

 

Atos

De acordo com Dr. Rosinha, presidente estadual do PT do Paraná, a expectativa é que o ato pró-Lula possa reunir quatro mil pessoas, menos que os cerca de 5 mil manifestantes vistos em 10 de maio, data do primeiro encontro entre o ex-presidente e o juiz da Lava Jato.No primeiro caso, ele foi acusado de receber R$ 3,7 milhões em propina, de forma dissimulada, da empreiteira OAS. Em troca, ela seria beneficiada em contratos com a Petrobras. Nesta ação, Lula foi condenado a nove anos e meio de prisão.

 

Enquanto o ex-presidente depõe, o PT organizou uma programação que inclui atividades culturais e aula pública com o ministro da Justiça do governo Dilma Roussef, Eugênio Aragão, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) e o líder do MST, João Pero Stédile.

Às 19h, está agendado um ato público de políticos do partido. Entre os confirmados pela organização, estão a senadora e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, e os senadores Humberto Costa (PE), Lindbergh Farias (RJ), Fátima Bezerra (RN) e Paulo Rocha (PA). Presente em maio, a ex-presidente Dilma Roussef ainda não decidiu se vai a Curitiba amanhã.

Bloqueio da PM no prédio da Justiça Federal no Ahu – Foto: Banda B

Bloqueios

O entorno do prédio da Justiça Federal terá bloqueios num raio de 150 metros.  Todas as pessoas que moram e trabalham em ruas próximas precisaram se cadastrar na Polícia Militar (PM). Entre as ruas que terão interdições está a Avenida Anita Garibaldi, entre as ruas São Sebastião e Eça de Queiroz.

Grupos a favor e contra o ex-presidente pretendem protestar no dia do depoimento. De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), eles serão separados, para evitar confrontos. Quem quiser realizar manifestações a favor de Lula deverá ficar na Praça Santos Andrade. Já as pessoas contrárias devem permanecer na região do Centro Cívico.